13 de jul de 2014

Pendendo à Filosofia...

Há algum tempo, tendo terminado o livro de lingüística que eu andava lendo, eu comecei a sentir falta de conhecimento sobre filosofia. Freqüentemente, ao longo das minhas leituras, vejo o uso de alguns termos que eu simplesmente não compreendo (não porque eu não conheça a palavra, mas porque parece que eles têm um significado mais complexo do que aquele simples que eu tenho mentalizado). Um exemplo são "belief" (crença) e "representational relation" (relação representacional?), na seguinte citação (que eu tirei daqui):
However, while it is certainly legitimate to propose a special relationship between speakers and grammars, unanswered questions remain about the precise nature of cognizance. Is it a representational relation, like belief? If not, what does ‘learning a grammar’ amount to? If so, are speakers' representations of grammar ‘explicit’ or ‘implicit’ or ‘tacit’ — and what, exactly, do any of these terms mean?
Porém, enquanto é certamente legítimo propor uma relação especial entre falantes e gramáticas, permanecem algumas perguntas não respondidas sobre a natureza precisa do conhecimento [Nota de Tradução: "cognizance" -- traduzido aqui como "conhecimento" -- é a palavra que o Chomsky passou a usar pra evitar dizer que os falantes de uma língua "know", i.e., "sabem" a sua gramática]. É ele uma relação representacional, como uma crença? Se não, em que "aprender uma gramática" implica? Se sim, são as representações da gramática de um falante 'explícitas' ou 'implícitas' ou 'tácitas' -- e o que, exatamente, esses termos significam?

Outro motivo que me tem trazido interesse à filosofia é que eu encontrei, há algum tempo, um lugar mágico na internet, onde uma quantidade imensa de conteúdo sobre muitos assuntos que me interessam estão depositados, simplesmente esperando serem acessados por qualquer pessoa que lhes devote algum interesse: a Enciclopédia de Filosofia de Stanford. De lá, eu já li vários artigos sobre muitos tópicos relacionados a línguas em geral; mas frequentemente percebo que me falta o conhecimento teórico básico através do qual eu provavelmente poderia muito melhor aproveitar o que aquele lugar me tem a oferecer.

Como filosofia, porém, é um daqueles assuntos que eu preconceituosamente deixo para os pseudo-intelectuais (preocupados em aparecer com perguntas sem sentido e olhar ao-além), eu resolvi começar com algo que me divertisse. E foi por isso que comecei a ler O Mundo de Sofia.

Estou achando muito legal. Por agora, ainda estou no começo: passei por Tales de Mileto, Parmênides, Heráclito, Demócrito (esses todos são aqueles dos quais o meu irmão vivia falando quando estudava isso), Sócrates, e agora devo começar a aprender sobre Platão. Eu sei que o livro é meio "for dummies", mas estou certo de que me trará o conhecimento necessário para seguir adiante nessa nova "aventura". Além disso, pelo menos, ao terminar, terei lido um clássico da literatura mundial =)

Além disso, já arranjei com minha cunhada um livro de introdução à filosofia, para continuar nessa jornada.

Enfim enfim... comecei a postagem querendo falar sobre outra coisa, mas percebi que precisaria dispender um pouco mais de tempo explicando minha motivação para o assunto sobre o qual eu queria falar (ficará claro na postagem posterior... espero xP).

R$

Nenhum comentário:

Postar um comentário