31 de out de 2010

Poemas no blog [4]

Essa semana "me ataquei" da rinite. Tenho rinite alérgica e de vez em quando começo a espirrar, "corizar" e todos os sintomas decorrentes do alérgico que vive em meio à poeira e à sujeira do apartamento em que mora (dos 4 que moram lá, 3 são alérgicos - e eu sou o que menos se importa com a sujeira do apartamento), principalmente da cama (demoro muito pra trocar os lençóis e só troco quando a minha vó me manda).

Estava bem ruim. Até tive que trazer de volta o rolo de papel higiênico pra perto do computador. Mas logo comecei a usar o remédio: furoato de fluticazona (vulgo Avamys). O médico sempre diz pra eu usar continuamente, mas eu só uso quando fico ruim. Faço assim porque o remédio é caro e porque eu sou vagabundo demais pra ficar me lembrar de usar o treco todos os dias (se bem que eu tomo outros dois remédios de 12h/12h e nem é tão difícil assim).

De qualquer forma, agora já estou muitíssimo melhor. Eu poderia dizer: estou totalmente bem; mas tenho medo de não estar tãããão bem assim (agora há pouco mesmo tive de assoar o nariz).


Quando fui falar que estava ruim da rinite para o pessoal do chat do msn do qual participo, me liguei que dava pra brincar com a "musicalidade" das expressões "atchim" e "atchum", uma seguida da outra (não sei explicar, mas vai ficar mais claro durante o poema). No que comecei a escrever (tinha escrito 5 linhas), me liguei que o poema lembrava MUITO (ao menos a mim) o poema Debussy do Manuel Bandeira (até fui procurar pelos poemas do Bandeira pra saber do nome certo - eu lembrava o poema, mas não, o nome [achei que essa vírgula ali ficou esquisita, mas sinceramente lembro de ter aprendido que quando a gente vai omitir o verbo tem que pôr uma vírgula pra "guardar o lugar" dele]).

Por isso, resolvi usar o "template" do poema dele pra me basear. Assim... aí vai =D

Rinite
(usando o template de Debussy, de Manuel Bandeira)

Atchim, atchum...
Atchim, atchum...
Estou atacado da rinite
Atchim, atchum...
Atchim, atchum...
Ainda bem que não é sinusite
(espirro sem parar...)
E que não posso mais ter amidalite
Passo a usar o remédio direito
Atchim, atchum...
Atchim, ...
O remédio fez efeito
John Gamboa - 31/11/2010

Espero que tenham gostado... sei lá

R$

29 de out de 2010

O lado feio do cristianismo

Recebi um e-mail esses dias na lista de discussão da igreja. No fim dele (eu li até o fim, já que, apesar de ser sobre política, era um dos poucos que não estavam somente listando males de um ou de outro candidato e dizendo pra votar no contrário), encontrei isso:

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de
reprodução sem autorização por escrito da BBC.


Depois de ler isso, fiquei pensando: era crente quem me mandou isso O.o (afinal, foi pra lista de discussão da igreja - e, sim, eu conheço a pessoa).

Da mesma forma, conheço alguns (e não é difícil encontrar no centro de PoA) cristãos camelôs. Eu posso dizer "aaa... mas ele tá trabalhando, e é a forma que ele tem de ganhar a vida", mas convenhamos que, no mínimo, isso deve ser considerado estranho ("dêem a César o que é de César"), né??

Por último, todos os anos, no natal ou na páscoa, a gente realiza um evento evangelístico que mobiliza toda a igreja de Guaíba (e alguns de Canoas também, sem contar quando vem gente de lá de Arapongas nos ajudar). É um dos poucos eventos evangelísticos promovidos pela igreja que realmente eu considero de boa qualidade: não é crivado de clichês "manda fogo" ou "faz chover", não é lotado de gritos de "Aleluia" e "Glória a Deus" (não querendo falar nada, mas sinceramente eu acho que isso significativamente deve afastar os ditos "ímpios" - que palavrinha horrorosa - da igreja) e as pessoas se vestem de um jeito natural, demonstrando que "crentes" também são "pessoas normais". Além disso, tem música boa, tanto no instrumental - normalmente uma orquestra bem boa - quanto no coral - como todo mundo fica meio que num furor pela apresentação, a coisa flui melhor do que se fosse só um trequinho tosco feito uma vez lá que outra.

O que me incomoda nessas cantatas é o xerox. Claro, claro: no Brasil, tirar xerox de música, além de ser algo TREMENDAMENTE normal, é algo que não dá multa muito cara. Mas, como bons cristão, não acho que isso seria o certo a se fazer O.o D=. No caderno das partituras da cantata, tem até escrito, bem grande, pra todo mundo ler, num quadrado chamativo, o seguinte aviso:

Importante:
É proibida a reprodução deste material com ou sem fins lucrativos. Os direitos de reprodução no Brasil são exclusivos da Ômega Alfa Ômega, conforme contrato com os produtores originais.


Mesmo assim.........

Não sou a favor de se comprar Windows original. Não sou a favor de se comprar algo além de um único exemplar das partituras da cantata que vamos apresentar, e só não sou a favor dos camelôs porque eles privatizam o espaço público (argumento que minha prima Jussara me deu sobre o assunto e que eu considerei muitíssimo bom =D). Baixo jogos "piratas" da internet e emulo roms de SNES sem nunca ter tido o cartucho. Por último, acho UM ABSURDO me dizerem que a indústria dos games vai terminar se continuarem pirateando tudo o que eles fazem por aí... ¬¬ (será que o Marcelo lê isso??)

Não considero errado quem faz tais coisas - como pode ter dado a entender o que escrevi antes. Só que acho estranho. Acho "feio". Acho que as leis precisam mudar, evoluir, e terminar com todo esse poder da propriedade intelectual e só assim terei a minha consciência tranquila quando eu quiser pegar o StarCraft II crackeado do meu primo (diz meu primo que conseguiu um na internet, quero ver =D) pra jogar.

Enfim... o que eu quis dizer é que os cristãos vivem dizendo que Cristo muda a nossa vida, e faz e acontece, mas me parece que tem um monte de coisas que eles continuam fazendo sem nem se dar por conta. Coisas pequenas, claro (nenhum cristão sai roubando, matando, estuprando, e não sabe que isso é errado - creio, ao menos), e, na minha opinião, não erradas, mas........ "feias"...

É isso =D

R$

25 de out de 2010

Mortal Kombat

Estava conversando com alguns amigos ontem, enquanto ía até a ULBRA Canoas para participarmos da comemoração dos 493 anos da Reforma Protestante (algo que, sinceramente, a CELSP faz muito bem - e é uma pena a nossa igreja não comemorar data tão importante, sinceramente ¬¬) - alguns de nós que fomos participamos ou do coro ou da orquestra que lá estavam - e de repente surgiu o assunto do trailler do Mortal Kombat, que ficou meio famosinho no youtube algum tempo atrás.

Na hora falei que achava que era fake, porque, sinceramente, sério, parece muito, mas não consegui argumentar sobre o motivo, já que logo trocamos para outro assunto. Resolvi, por isso, procurar por algumas coisas na internet.

Falaram, em primeiro lugar, que o Reptile tem Síndrome de Arlequim O.o. Bom... por mim, tudo bem. Não me parece algo bizarro: ele até que poderia ter, pra ter ficado com a cara daquele jeito. Mas isso sinceramente retiraria toda a "fantasia" do MK de ter um cara que larga ácido pela boca D= (até porque, convenhamos, que explicação científica agora eles íam dar pra o Sub-Zero congelar pessoas e pra o Scorpion estar no inferno??)

Mas o que me incomodou - e foi o motivo de eu achar que é fake - é que eles usaram imagens de um conhecido vídeo do youtube sobre a Síndrome de Arlequim (coloquei o link porque isso me fez me lembrar que o nome da "fêmea" do Coringa é Arlequina), quando falam do Reptile. Convenhamos, que filme de credibilidade usaria um video comum do youtube pra falar sobre uma doença?? Óbvio que temos filmes como Sinais, que usou o video do ET de Passo Fundo, mas, bááá, sei lá, o video de Passo Fundo não era tão conhecido como o usado nesse filme, e o Sinais nem lá é um filme tão grande coisa (tá tá, como se o MK fosse u_u).

Jax, no suposto filme =D



De qualquer forma, entrem no link da descrição do trailler, e verão que realmente o site imdb (Internet Movie Data Base) tem um "artigo" sobre o filme, que, de acordo com eles, deve sair em 2013 - o que me dá 3 anos pra ver se o negócio realmente vai fluir =D. Lá eles dizem que "they are gonna do how they wanted to do it originally which is very dark", então, é esperar pra ver - ou não, supondo que seja fake (como, sinceramente, vou ficar crendo até ver os cartazes no cinema mais próximo da minha casa =D).

R$

22 de out de 2010

O Lixo

Hoje vou escrever sobre o lixo...

Quarta-feira, esperava eu na parada, na PUC, na volta da natação, quando, sem nada para fazer, percebi um cara descascando uma bala e - para minha surpresa - simplesmente soltando o papel, como se nada estivesse acontecendo (sabe aquela dissimulação que a gente faz quando quer soltar lixo no chão - ou quando quer soltar tatu do nariz =D - sem ser notado??). Ele conversava com uma mulher e, tendo eu visto o seu ato, logo me levantei e ajuntei do chão aquilo que acabara de soltar, meio que brusco em meus atos, de forma que ele - ao menos tentando isso - percebesse o que eu fazia (e no mínimo ficasse envergonhado). Acho que não percebeu D=

Cinco minutos mais tarde (de acordo com o meu relógio, deu exatamente cinco minutos, mas não sei dos segundos =D) passou um cara juntando lixo do chão e das lixeiras, procurando por algo que pudesse aproveitar. Fiquei pensando: interessante: o que é lixo pra uns às vezes pode ser "tesouro" para outros. (na real, nada em que eu já não tivesse pensado antes, óbvio


No mesmo dia, ainda na rua - caminhei bastante na quarta-feira -, vi 3 vezes acontecer a mesma coisa (na última acho que até estava já com meus irmãos, se não me engano - o que, pelo pouco que me lembro, foi o que gerou a conversa sobre o assunto naquele momento): pessoas fumantes que, ao terminar o seu cigarro, jogaram a sua bituca no chão, da mesma forma dissimulada (ou não) do cara do papel de bala do início do post.

Será que as pessoas não se ligam que estão sujando a cidade?? Que desgraça!!! Sério... muita indignação!!!
Gostei dessa imagenzinha que achei no google. Vai ela aí =D

Acho engraçado, porque parece que as pessoas aprenderam com os "malandros" dos filmes a fazer coisas desse tipo. Tanto que durante a conversa sobre o assunto de que falei dois parágrafos atrás o mano até referiu o caso de uma mulher que, esperando o ônibus ao lado de uma lixeira na parada que tem aqui perto de casa, ao terminar o cigarro, em vez de pôr na lixeira, simplesmente largou no chão.

Fico me perguntando: onde é que tá a cabeça dessa gente?? Ela tava DO LADO da lixeira!!!

Mas ao mesmo tempo caio no caso em que as pessoas não tem cultura - não tiveram educação, sei lá - pra saber o quanto mal estão fazendo (e que mal é esse afinal??) quando jogam lixo nas ruas. E também fico pensando nas pessoas que, como no início do post, usam do lixo posto fora para seu próprio sustento. Seria difícil pra o cara encontrar "lixo bom" se ele não estivesse disponível em algum lugar fácil de pegar (supondo o caso em que os caras da prefeitura sempre recolhem o lixo das lixeiras =D) - o chão.

Pra finalizar, me lembro sempre de um poema do Manoel Bandeira quando penso em lixo. Deixo ele aí pra não dizerem que o meu post (completamente sem sentido, diga-se de passagem) foi em vão:

O Bicho

Vi ontem um bicho
Na imundice do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa;
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem.

Era isso...
R$

19 de out de 2010

Só o amor faz o mundo andar

Eu sei que o tempo já passou, mas eu quero muito compartilhar um video postado pelo André - e que tem mais de 100000 views no youtube - com as pessoas que aqui me lêem:

 

Sério... a musiquinha vale muito a pena. Passei UMA SEMANA com essa música presa na minha cabeça, sem nenhuma vontade de ir embora =D (e foi embora pra dar lugar a uma droga de pagode que felizmente só ficou algumas horas me incomodando D=)

R$

15 de out de 2010

Poemas no blog [3]

Eu ía postar sobre outro assunto completamente diferente no blog, mas tenho um poema que pensei esses dias, enquanto no ônibus, e que queria muito compartilhar. É sobre a minha significativa indignação em relação aos poemas do ônibus, que são, sinceramente, um lixo (tá tá, eu falando dos poemas do ônibus, mas, enfim, sério, não aguento ler aquilo).

Noutro momento, daí, quando tiver mais tempo, posto sobre o tal outro assunto.

Haikai indignado

Se é pra ter poema
Sem musicalidade
Aqui está o meu
John Gamboa - 15/10/2010

Eu sei que esse também tá uma merda, mas pra mim tá competindo pau a pau com os que a gente vê nos ônibus todo dia ¬¬

Eras isso...

R$

5 de out de 2010

Poemas no blog [2]

Estava fazendo nada agora de tarde e comecei a olhar pela janela. Aos poucos fui montando um poeminha, que quero compartilhar aqui também. Pra mim ele ficou beeeeem ruinzinho, mas, enfim, como foi feito em questão de meia-hora, acho que ele merece algum pequeno reconhecimento.

Aí vai:

Da janela do meu quarto

Da janela do meu quarto,
vejo um monte de gente,
e o McDonnald's, ali em frente,
com seus muitos clientes,
gastando de seus salários,
pagando aos funcionários,
quantia alta, e cientes
de que estão estragando seus dentes O.o
... (to sem rima, povo exigente ¬¬)

Da janela do meu quarto,
vejo o Guaíba, azulado;
e, às vezes, escurecido,
em dia de tempo fechado.
Vejo os barcos, enegrecidos,
e os prédios, poluídos.

Da janela do meu quarto,
vejo os aviões, a pousar
e um escrito a declarar
"SIMONE EU TE AMO" O.o
Às vezes fico a pensar
se a Simone de quem falamos
ainda aqui está a morar

Da janela do meu quarto,
...
Percebo eu que tardo,
na janela do meu quarto...

John Gamboa - 05/10/2010

Espero que o povo leitor o tenha apreciado. Também, se não tiver gostado, não se preocupem, não estou me importando com a opinião dos outros (6).

Era isso...

R$