28 de fev de 2011

Guaíba

Hoje quero falar de Guaíba. O motivo ficará claro mais adiante.

Ao fundo, o Morro da Hidráulica (muita gente nem sabe que esse morro tem nome). Em foreground, o Caisinho (aquele quiosquezinho ali à direita) e, logo à frente dele, o trapiche.

Guaíba é uma cidade relativamente pequena, de em torno de 100k habitantes, onde vivi desde que me conheço por gente, apesar de não abrir mão da minha real naturalidade, portoalegrense. É uma cidade bonitinha, não no sentido de "feio bem arrumado", mas no sentido de que, apesar de pequena, não dá pra dizer que seja feia.

Como principal atividade econômica, devo destacar a indústria de papel. Guaíba, antigamente, se autodenominava "berço de Revolução Farroupilha". Como foi daqui que o pessoal do Gomes Jardim (esse morava aqui) saiu , no dia 19 de setembro de 1835, para tomar Porto Alegre, a cidade se considerava importante nesse sentido. Bento Gonçalves até mesmo morreu aqui. Mas isso meio que aos poucos foi deixando de ter importância (eu diria que a população se viu frustrada ao não citarem em momento algum o nome "Pedras Brancas" em "A casa das Sete Mulheres" - aliás... foi o que eu ouvi: não assisti à série, de qualquer forma u.u) e o que prevaleceu foi "o fedor do progresso", como falam os mais velhos do cheiro forte que vinha das grandes empresas de papel que "tomaram" a cidade. Em especial, destaco a Celupa, a Sulfato e, obviamente, a "Celulose Riograndense". Essa última teve muitos nomes: Borregar, Riocell, Klabin Riocell, Klabin, Aracruz, Phibia e, por fim, Celulose Riograndense. Foi a responsável pela poluição da nossa orla, até onde sei.

Antigamente, tinha deputado que tinha casa aqui na praia da Alegria (que, separado pelo Guaíba - rio que dá nome à cidade -, fica do outro lado da Tristeza, o bairro de Porto Alegre), ou mesmo na Florida (bairro ao lado da Alegria). Os dois bairros eram bairros de rico, com casarões e tudo mais. O tempo passou, a Borregar veio pra cá, e hoje parece que a coisa não é mais assim (eu ao menos tenho medo de andar na Florida e Alegria, em quase qualquer horário do dia D=): o dejeto da indústria ía diretamente para as praias (ficava ao lado) e a poluição tomou conta do rio. Aliás, era aqui que ía se instalar a Ford, nos tempos do Olívio Dutra. Mas felizmente (sinceramente) ele teve personalidade e mandou a Ford embora para Camaçari (na região metropolitana de Salvador), já que ela exigia muitos incentivos fiscais do estado (sério, malditos incentivos fiscais esses: o estado gasta horrores só pra pagar essas bobagens pras empresas ficarem dando empreguinhos baixos para o povo de baixa escolaridade ¬¬). No lugar da Ford, o Rigotto conseguiu colocar um depósito da Toyota, e desde então se tenta trazer a fábrica da Toyota junto, sem sucesso. Até onde se sabe, 5 ou 6 novas indústrias devem se instalar no lugar nos próximos anos - ao menos foi o que jornal local publicou no fim do ano passado sobre aquela região que um dia já foi destinada à Ford.

Guaíba tem uma fortíssima escola de canoagem (no Pan 2007 teve um campeão panamericano que saiu daqui) à beira do Guaíba. Também, Guaíba tem alguns sérios problemas sociais. Em 2009, "fomos" a cidade com o maior número de mortes por assassinato no estado, tendo ultrapassado inclusive Canoas e Alvorada. Tanto é que de vez em quando a cidade aparece nos noticiários da RBS por causa de algum crime dito "chocante" pelo seu sensacionalismo jornalístico. Bairros como Nova Guaíba, São Francisco e São Jorge são nomes conhecidos na cidade pela sua insegurança - apesar de provavelmente ter muita gente que adore morar lá.

Igreja Católica de Guaíba. Não sou católico, mas acho a igreja bem bonitinha pra cidade, e pertinho dela fica a casa do Gomes Jardim







------ a partir daqui, começa o meu devaneio u.u ------

De uns tempos pra cá, apesar da passagem para Porto Alegre significativamente alta, tenho tido uma impressão bastante boa sobre a cidade. Não sei se é coisa minha só, mas acho que não, sinceramente. Para citar coisas feitas pela prefeitura para "aumentar a qualidade de vida da comunidade", a orla do Guaíba no centro foi restaurada e o trapiche (ou o "pier", como o pessoal gosta de chamar), que antes era lugar de o pessoal menos familiarizado com a lei usar de seus entorpecentes ilegais, agora está relativamente bem iluminado. Durante o Natal, a prefeitura (esse é o primeiro mandato do prefeito Henrique Tavares, que foi vice-prefeito nos últimos dois mandatos e que dá seguimento ao antigo governo, o qual eu até que aprovo) montou um palco bem melhor do que o que sempre montava e aconteceram várias apresentações na "Praça da Juventude", uma praça que fica bem na beira do Guaíba (o rio).

Foi numa apresentação dessas que comecei a ter essa boa impressão sobre a cidade. Dessa vez a cidade estava muitíssimo melhor enfeitada, na minha opinião, e, modéstia a parte, a nossa cantata de Natal ficou ótima (depois da apresentação eu fui à casa de uma amiga - tinha uma pseudo-festa lá - e não me cansei de repetir o quanto eu estava satisfeito com a apresentação). Aliás, a igreja de que faço parte "plays an important role" nessa minha visão de melhora da cidade. Não bem a igreja, pra falar a verdade, mas dois departamentos em especial dela. Temos um departamento de música bastante bem elaborado, que tem crescido, eu diria, exponencialmente, nos últimos dez anos. Não no quesito dinheiro, coisa que o departamento, coitado, tem pouco para realizar suas iniciativas (eu sei porque conheço muito bem as pessoas que coordenam o departamento e tudo mais); mas no quesito qualidade: cada vez mais a escola de música desse departamento estende seus braços pelos bairros da cidade, ensinando música para quem quiser aprender, inclusive pessoas que não são da igreja (não que isso dê pontos a mais para a escola, mas ao menos não dá pontos a menos). O "nível" dos músicos tem melhorado, e aqueles que realmente resolvem que querem isso pra o futuro inclusive estudam em algum lugar "renomado", como a UFRGS ou a OSPA. Enfim... o departamento de música leva a música para a cidade através de apresentações feitas ao ar livre e em desfiles, e acho que não tem um cidadão guaibense que ainda não tenha ouvido a nossa banda em algum momento de sua vida.

O outro departamento do qual eu resolvi falar - que acho que tem um papel interessante por aqui - é o departamento que trata com os surdos, que chamamos "vulgarmente" de "o LIBRAS" (LIBRAS é a Língua Brasileira de Sinais - sim, eu disse LÍNGUA, e não LINGUAGEM, porque é o que a LIBRAS é). Na cidade inteira, até onde sei, só existia um lugar, uma escola, que tinha qualquer trabalho (muito pouco desenvolvido, diga-se de passagem) com surdos. Como houve a necessidade de se criar um departamento relacioinado a isso (longa história, que não devo contar, mas que é bem bonita, triste, mas alegre, ao mesmo tempo, na minha opinião), hoje a igreja é o maior "centro" relacionado ao assunto na cidade, com 3 intérpretes em especial que realmente "fazem a diferença", na minha opinião (uma dessas pessoas se dá ao trabalho de vir de Canoas para ajudar toda semana aqui em Guaíba, nos fins de semana, com os surdos).

Enfim... parando de falar da igreja (não é ela o assunto central da minha postagem), outra coisa me faz ter uma impressão boa da cidade. Não sei se é só no meio onde vivo, aqui, mas cada vez mais vejo gente "se fazendo", conseguindo aquilo que quer, estudando, melhorando de vida. Dentro da cidade, por exemplo, temos alguns poucos cursos técnicos: o Solon Taveres, escola técnica que fica ao lado da UERGS (essa última já acho que "fechou": o curso de Engenharia em Sistemas Digitais, que existia ali - o único do pólo -, parece ter sido extinto há alguns anos), tem três cursos técnicos até que "de qualidade", eu diria, no sentido de que quem sai dali ao menos pode-se dizer que sai pronto pra ter uma relação relativamente boa com o "mercado de trabalho" (na minha opinião, o grande alvo dos estudantes de cursos técnicos, no fim das contas). Temos também os cursos de administração e de "celulose e papel" (acho que é esse o nome) na escola Gomes Jardim, além daqueles que resolvem dar um pulinho ali em PoA e fazer os cursos do SENAI, que fica logo ao lado da ponte, bem pertinho, pra falar a verdade, para quem quer estudar demanhã na escola e fazer o técnico detarde. Fora, é claro, aqueles que resolvem pagar e fazer sua formação nessas QI da vida - nada contra, mas prefiro aquilo que seja público, fique bem claro. Enfim... grande parte dos estudantes do ensino médio das escolas da cidade faz algum desses cursos mencionados junto com o ensino médio.


Vista da cidade a partir do trapiche. A esquerda, o prédio mais alto da cidade, o The Winner, com seus magníficos 9 andares =D

Continuando com o "melhorando de vida", vejo muita gente (sério, MUITA) tentando e passando na UFRGS, por exemplo. Não sei se isso já era comum antes, mas lembro que quando eu estava na escola ouvia falar da UFRGS como se fosse "um ponto inalcançável onde somente aqueles com melhores estudos [alguns diriam "capacidades", na época] chegam". Não sei se ainda posso dizer isso, já que fico sabendo cada vez de mais gente estudando ali (não que o nível da UFRGS tenha baixado - talvez até tenha, na minha opinião, por causa das cotas, um pouco, sinceramente -, mas que os estudos dessa gente tenha melhorado). Vejo meus amigos, que hoje são intérpretes (normalmente quando eu usar essa palavra, fique claro que estou falando de LIBRAS) na ULBRA Canoas, estudando e chegando longe. Uma amiga em especial está fazendo Letras LIBRAS na UFRGS (só para dar o exemplo). Vejo amigo saindo do estado e indo estudar música fora, para depois voltar, e logo ir denovo embora - e espero que logo volte. Vejo gente terminando a graduação e fazendo concurso pra ficar mamando nas tetas do estado. E gente terminando a graduação mas sem motivos pra se preocupar porque há anos já estava num emprego determinado do qual deve somente sair ao se aposentar (ou morrer, ou não).

É claro que vejo gente "assim pensando, e assim pensando o tempo passa, e a gente vai ficando pra trás", e claro que isso não vai deixar de ter. Consigo pensar facilmente em muitos que conheço que ficaram parados, estagnados. Mas não consigo pensar em muita gente que tenha piorado (aliás, não consigo pensar em pessoa alguma, sinceramente, no momento).

Aliás, é aí que tá o objetivo do meu post. E agora? Estava no ônibus esses dias voltando de PoA (como boa cidade dormitório, a população de Guaíba suga muito de sua renda de fora, principalmente de Porto Alegre. Eu, apesar de não sugar a renda de lá, tenho certeza de que conheço Porto Alegre melhor que muito portoalegrense) e fiquei pensando que, embora muitos moradores da cidade desfrutem desses bons tempos de Guaíba, me parece que pouquíssimos querem contribuir para a melhora da cidade. Me parece que pouquíssimos estão a fim de "dar de volta à cidade aquilo que a cidade pode nos dar". Me parece que poucos estão dispostos a se dar ao trabalho de fazer alguma coisa para melhorar o lugar onde vivem (sim, porque, como eu disse, Guaíba tem sérios problemas sociais ainda). Aliás, pior que isso, me parece que muitos prefeririam sair daqui o mais rápido possível (assim que tivessem uma oportunidade de viver em algum lugar que lhes trouxesse maior gratificação). Eu, incluso, admito. Pensei nisso e vi que tem muitas coisas acontecendo na cidade. Muitos "projetos sociais". Muitas oportunidades pra fazer alguma coisa boa pela cidade, pelas pessoas, pelo ambiente.

Ao leitor guaibense, fica a minha sugestão: que procure algo o mais rápido possível de que possa participar. Ao leitor ¬(guaibense), espero que a imagem que eu tenha passado de Guaíba não seja extremamente utópica, maravilhosa, ou, talvez, pelo contrário, horrorosa, mas que seja a de uma pequena cidade, bonitinha e interessante de se viver (se bem que quem vem de um centro urbano maior, como Porto Alegre - sinceramente, eu diria melhor: como a zona norte de Porto Alegre -, certamente deve achar a cidade um horror). A mim, esse post serve para lembrar que, apesar de eu achar Guaíba um lugar onde eu definitivamente não quero passar o resto da minha vida, eu cresci nesse lugar e devo dar o devido valor a ele - que, sim, é bem bom, pra falar a verdade.


Era isso........... devaneios a parte... acho que só queria escrever sobre Guaíba =D

R$

26 de fev de 2011

Tudo Free Downloads, Quadrinhos e Comical

Tá tá... eu sei o que o leitor tá pensando: por que é que eu to usando um título a estilo PC Siqueira? Não foi intencional, apesar de, depois de feito, eu ter achado divertido e resolvido deixar só pela comédia. Mas, talvez diferentemente do PC Siqueira, eu devo me limitar somente a esses 3 assuntos, e não pular aleatoriamente de um assunto pra o outro como ele faz (ou ao menos fazia, no tempo em que eu assistia a seus videos).

Em primeiro lugar, quero fazer propaganda de um blog: Tudo Free Downloads. Essa propaganda é muito mais para mim do que para o leitor. Como o leitor já sabe, é natural que eu largue coisas de que eu queira me lembrar no futuro aqui no blog, já que é um lugar "na nuvem" onde, depois, eu poderei procurar (sem medo de que tenha sido deletado ou coisa do tipo - a menos que o Google filhadaputeie muito). Assim, esse link é pra que eu lembre dele no futuro.

Estava passando pelo Akinator (meus amigos do chat estavam brincando com ele - pra quem não sabe o que é, basta clicar no link e em jogar: é completamente intuitivo u.u) e tentei ver se ele descobria que eu tava pensando na Shriek, do Maximum Carnage. Na hora, não sabia como eles tinham traduzido o nome Shriek para o português, e fiquei muito a fim de procurar os quadrinhos em português para matar essa dúvida. Procurei por qualquer coisa como Carnifina Total (esse é o nome com que os quadrinhos vieram para o Brasil) e acabei caindo naquele blog, Tudo Free Downloads, onde pude baixar os quadrinhos num formato que, em primeiro momento, pensei que fosse de arquivos de ajuda (arquivos de ajuda são ".chm"), tal de cbr. Cliquei duas vezes em cima e concluí o óbvio: não eram arquivos de ajuda. Procurei por ".cbr" no Google (ou algo assim) e encontrei um tal de Comical.

Comical é um projeto hospedado no SourceForge que está em sua versão 0.8, pelo que entendi, e, até onde diz o site do projeto, "it lives"[!!!]. Assim, sem medo, baixei o programinha (não gosto dessas coisas de windows de sair procurando pela internet qualquer programa pra instalar. Me sinto inseguro. Depois que o Ubuntu surgiu na minha vida, comecei a preferir a segurança dele) e saí usando. A interface era ridiculamente user-friendly (apesar de o TODO.txt do projeto dizer que eles ainda querem melhorar a interface, adicionando atalhos customizados pelo usuário e coisas do tipo): tu abre o programa e ele pede um arquivo .cbr ou .cbz para abrir; tu manda abrir, e ele mostra aquilo que tem no arquivo; ponto (sem frescura). Infelizmente, parece que o projeto está parado, já que desde 2006 não houve mais releases, e o último patch parece ter sido released em 2008 D=

Abri o arquivo e fiquei boquiaberto. Sou eu tão n00b que nunca tinha encontrado esses tais arquivos .cbr/.cbz? Sério... é PERFEITO! Os quadrinhos estão lá, lindos, para serem lidos. Pelo que eu entendi, "cbr" é um "comic book rar-compacted" e "cbz" é um "comic book zip-compacted". Até, por acaso, agora, tentei abrir um dos arquivos .cbr com o WinRAR e funfou.

Enfim, como o Tudo Free Downloads me pareceu um bom site, resolvi arriscar: será que encontraria outra paixão da minha infância, ao lado do Maximum Carnage, que me ensinou como quadrinhos e video-games poderiam sem problemas se integrar (outro jogo que virei incontáveis vezes, várias até mesmo no mesmo dia)? Procurei então por Desafio Infinito, o nome com o qual o War of the Gems veio para o Brasil. Na hora, encontrei! E melhor que isso, com uma frase tão clássica quanto os quadrinhos: "Venham me pegar, Heróis!", que é a frase que o Thanos aparecia falando na capa do segundo volume dessa incrível saga. Lembro até hoje da inveja que eu tinha do meu vizinho com todos aqueles quadrinhos.

Enfim... é isso. Por fim, sugiro ao leitor do meu blog que leia essas duas obras de que eu falei. São curtinhas e contribuem em muito à sua cultura até mesmo sobre Super NES, pra falar bem a verdade (dois jogos que vale a pena jogar também) u.u


R$

25 de fev de 2011

Alemanha


Não devo ir para a Alemanha.

Durante os últimos 2 anos ou quase isso, planejei e me preparei (e me esforcei de forma que minhas notas fossem boas o suficiente) para que em setembro desse ano eu pudesse ir para esse país, cuja língua até um pouco me dei ao trabalho de aprender.

Fiz planos e imaginei coisas. Seria uma experiência extremamente interessante: eu viveria obrigado a me comunicar utilizando o inglês e o alemão (bastante deficiente, provavelmente, no início) em todos os lugares. Estaria longe dos meus familiares e finalmente não teria ninguém me mandando arrumar minha cama ou exigindo que eu ficasse pondo as despesas no docs u.u.

Mas, finalmente, depois de 2 meses de "atraso", saiu o resultado. Num primeiro momento, quando me inscrevi no processo seletivo, fiquei significativamente descrente de que teria chances: meus concorrentes pareciam tão melhores. Depois de algumas conversas minha auto-estima melhorou: meus colegas com quem eu pretendia ir (não eram concorrentes e eu não tinha nenhuma pretensão de concorrer com eles, já que minhas notas eram bem piores que as deles) me fizeram ver que minhas notas eram suficientes para angariar um "quarto lugar", o que me deixou tranquilo. Entretanto, após algum tempo, finalmente, saiu a listagem, onde fiquei em 7º lugar (de 9).

Normalmente saem 4 bolsas. Nunca foram menos. Mas ano passado foram 6: parece que sobraram umas bolsas da CAPES que eles resolveram aproveitar para esse intercâmbio. Assim, talvez, com muito boa vontade, haja ainda a possibilidade de que eu vá. Mas não devo contar com isso. Meus planos são outros já.

Minha mãe achou estranho que eu não tenha ficado "entristecido" ou "abalado", mas acho que eu não sou dessas coisas. Acho que nunca me frustrei assim com planos que não deram certo. Na maioria das vezes, pra falar a verdade, porque eles dão certo. Mas, como eu gosto de repetir, conformismo é uma característica bem típica em cristãos, e eu acho que não sou diferente. De qualquer forma, não prefiro conformismo, prefiro pensar que estou satisfeito porque outros vão no meu lugar, e desfrutarão daquilo que eu pretendia desfrutar (seja lá o que seja isso u.u).

Acho, enfim, que não fiz a coisa do jeito certo. Não sei se fui mal na entrevista, ou o quê, mas não entendo como fui parar em 7º lugar. Tinha um I3 bem alto, até, em relação aos outros, mas acho que eles nem levaram tanto isso em consideração. Tanto é que o Hugo, primeiro lugar no ordenamento em seu semestre, conseguiu ficar depois de mim O.o. Acho que agora a coisa certa a fazer é seguir com os planos que eu dizia ser "aquilo que vou fazer se tudo der errado na minha vida". Digamos que esse "tudo der errado" aconteceu, mas, como já disse, fiquei bem mais tranquilo quanto a isso do que esperava.

Eu poderia dizer até que dou graças a Deus por saber que ficarei em BR (tem que dar graças pelas coisas boas e pelas coisas más, já "ensinava" Jó), mas só não digo isso porque ainda não sei como as coisas serão a partir de agora, sem ter um objetivo distante como eu tinha até agora que me diga que eu preciso realmente ter notas altas e tudo mais. Aliás.......... graças a Deus: sigo "em frente" lembrando das palavras de Paulo no fim do capítulo 8 de Romanos, que é o que mais eu posso pensar no momento n_n

De qualquer forma............ "Eu estou sintetizando felicidade"... pelo que se vê =D

Era isso.......

R$

24 de fev de 2011

Sacolinhas do Banheiro

O mano postou um negócio no blog dele... e eu achei significativamente interessante, de modo que resolvi repostar aqui. Se bobear o negócio é já bem velho, e ninguém dê o devido valor a esse tipo de coisa, mas concordo com ele no sentido de que aqui em casa provavelmente isso demore pra virar moda D=

As imagens ficaram um lixo... mas tá assim também no blog do mano. Não consegui resolver o problema. Pra poder vê-las, é só clicar no link (ao menos aqui tá aparecendo tudo muito estranho O.o).

---------- INICIO DO POST DO MANO -----------------------

Fim das Sacolinhas no Banheiro

Recebi o texto abaixo da minha mãe há muuuuuuuuuuuuuuuuito tempo atras (foi em agosto do ano passado). Limpando o email acabei lendo e tentando fazer. Deu certo. Sério, se todo mundo usasse seria muito bom. Aqui em casa com certeza não vai acontecer por algum tempo ainda, porque não mando no nosso lixo e nem tenho disposição 'verde' pra fazer isso sempre. Mas quem sabe no futuro agente vire adepto xD

Dia desses, quando recusei a sacolinha plástica numa loja, ouvi da moça do caixa: mas como você faz com o seu lixo? Não foi a primeira vez que me perguntaram isso. A grande justificativa das pessoas que dizem que "precisam" das sacolinhas é a embalagem do lixo. Tudo bem, não dá mesmo pra não colocar lixo em saco plástico, mas será que não dá pra diminuir a quantidade de plástico no lixo? Melhor do que encher diversos saquinhos plásticos ao longo de uma semana é usar um único saco plástico dentro de uma lixeira grande na área de serviço, por exemplo, e ir enchendo-o por alguns dias com os pequenos lixinhos da casa (da pia, do banheiro, do escritório). Se o lixo é limpo, como de escritório (papel de fax, pedaços de durex, etc), pode ir direto para a lixeira sem proteção. No caso dos lixinhos da pia e do banheiro (absorventes, fio dental, cotonetes), o melhor substituto da sacolinha é o saquinho de jornal. Ele mantém a lixeira limpa, facilita na hora de retirar o lixo e é facílimo de fazer. Leva 20 segundos. A ideia veio do origami, que ensina essa dobradura como um copo. Em tamanho aumentado, feito de folhas de jornal, o copo cabe perfeitamente na maioria dos lixinhos de pia e banheiro que existem por aí. Veja:
Você pode usar uma, duas ou até três folhas de jornal juntas, para que o saquinho fique mais resistente. Tudo no origami começa com um quadrado, então faça uma dobra para marcar, no sentido vertical, a metade da página da direita e dobre a beirada dessa página para dentro até a marca. Você terá dobrado uma aba equivalente a um quarto da página da direita, e assim terá um quadrado.

http://2.bp.blogspot.com/_opkoEQ37XP4/SxxjRsQReJI/AAAAAAAAAMM/jWrubMDW8qc/s200/saco+jornal+1.jpg
Dobre a ponta inferior direita sobre a ponta superior esquerda, formando um triângulo, mantendo a base para baixo.

http://4.bp.blogspot.com/_opkoEQ37XP4/SxxjNXeQiNI/AAAAAAAAAME/6OWbz1y2AkY/s200/saco+jornal+2.jpg
Dobre a ponta inferior direita do triângulo até a lateral esquerda.
http://3.bp.blogspot.com/_opkoEQ37XP4/SxxjJcgnPSI/AAAAAAAAAL8/wj5wbkMgd5o/s200/saco+jornal+3.jpg
Vire a dobradura "de barriga para baixo", escondendo a aba que você acabou de dobrar.
http://1.bp.blogspot.com/_opkoEQ37XP4/SxxjFyq3BJI/AAAAAAAAAL0/xLdIxQris5Q/s200/saco+jornal+4.jpg
Novamente dobre a ponta da direita até a lateral esquerda, e você terá a seguinte figura:
http://1.bp.blogspot.com/_opkoEQ37XP4/SxxjCTy5eVI/AAAAAAAAALs/HnSGvFU9ycQ/s200/saco+jornal+5.jpg
Para fazer a boca do saquinho, pegue uma parte da ponta de cima do jornal e enfie para dentro da aba que você dobrou por último, fazendo-a desaparecer lá dentro.
http://4.bp.blogspot.com/_opkoEQ37XP4/Sxxi-sy3KuI/AAAAAAAAALk/-swFV7vB_k4/s200/saco+jornal+6.jpg
Sobrará a ponta de cima que deve ser enfiada dentro da aba do outro lado, então vire a dobradura para o outro lado e repita a operação.

http://3.bp.blogspot.com/_opkoEQ37XP4/Sxxi5OtMjKI/AAAAAAAAALc/0p5-3VJdXHw/s200/saco+jornal+7.jpg
Se tudo deu certo, essa é a cara final da dobradura:
http://4.bp.blogspot.com/_opkoEQ37XP4/Sxxiy5jGwQI/AAAAAAAAALU/cmELFCtCB50/s200/saco+jornal+8.jpg
Abrindo a parte de cima, eis o saquinho!
http://2.bp.blogspot.com/_opkoEQ37XP4/SxxiuRc6KwI/AAAAAAAAALM/cN8G9z7d-7k/s200/saco+jornal+9.jpg
É só encaixar dentro do seu cestinho e parar pra sempre de jogar mais plástico no lixo!
http://3.bp.blogspot.com/_opkoEQ37XP4/SxxiqFvgrJI/AAAAAAAAALE/8dX53ZClbUM/s200/saco+jornal+10.jpg
Que tal?
http://2.bp.blogspot.com/_opkoEQ37XP4/SxximC33sTI/AAAAAAAAAK8/h0GdzWp4APY/s200/saco+jornal+11.jpg
Pode parecer complicado vendo as fotos e lendo as instruções, mas faça uma vez seguindo o passo a passo e você vai ver que depois de fazer um ou dois você pega o jeito e a coisa fica muito muito simples. Daí é só deixar vários preparados depois de ler o jornal de domingo!

Paztejamos

---------- FIM DO POST DO MANO -----------------------

Fiquei pensando, no fim, na situação limite em que infinitas pessoas postem essa mesma coisa, colocando cabeçalhos sobre a situação que fez com que conhecessem esse e-mail. Provavelmente, após um certo momento, o tamanho do texto ficaria inviável u.u

Enfim... coisa da minha cabeça =D

Era isso...

R$

18 de fev de 2011

Temos que pegar

Breve introdução 
Uma música se prendeu à minha cabeça desde ontem: o tema do Pokémon. A música é tão pegajosa que fez questão de aparecer em duas línguas diferentes: ora fico cantando ela em português, ora em inglês. Por causa disso, resolvi fazer um post sobre o assunto nesse meu amado blog.

Raramente escrevo mais de um post num mesmo dia. Normalmente espero e guardo um segundo assunto que tenha pra mais pra frente, pra que, no caso de depois disso não me vier assunto algum, não poderem dizer que tenho deixado o blog desatualizado. Mas nesse caso, fiquei com tantas abas abertas no youtube que acabei me obrigando a escrever um novo post: queria poder fechá-las de uma vez, já que a internet anda ruim, e eu sabia que abrir tudo denovo depois seria ruim (eu quero jogar LoL e a cada vez que eu tento jogar eu me vejo obrigado a reiniciar o pc T_T).

Por isso, fique avisado, leitor despreparado: esse post vai ter muitos videos do youtube.


Background histórico
Qual brasileiro dos anos 90 que, ao ouvir a palavra Pokémon, não lembraria de nomes como Pikachu, Pidgey, Squirtle, Charmander ou Starmie? Digo brasileiro, mas tenho certeza de que poderia substituir a palavra por qualquer nacionalidade em cujo país a febre mundial tenha sido exibida. Poucos foram aqueles que recusaram a "modinha" e deixaram de virar fãs de Pokémon.

No meu caso, aconteceu quando eu estava na quarta série, se não me engano. Lembro que o mano não pôde assistir ao primeiro episódio, mas não lembro o motivo. Lembro de ter assistido a muitos episódios e de todos os meus colegas saberem tanto ou mais do que eu sobre o assunto. Lembro de ter um colega, o Guilherme, que desenhava muito bem vários pokémons (ele desenhava durante a aula, enquanto a professora mandava a gente copiar) e dizia "capturados" aqueles que ele já tinha desenhado. E, logo depois, lembro de terem ficado famosas (não sei quanto a outros lugares, mas ao menos na minha vida o jogo do Pokémon acabou ficando famoso só um pouquinho depois dos desenhos) as roms de GB/GBC pela internet, naquele tempo em que poder ficar na internet discada o dia inteiro era coisa pra poucos.

Naquela época, lembro que fui pro trabalho da mãe num sábado, com ela, e baixei umas 6 roms de GB/GBC. Uma das roms foi um jogo que mudou a minha história: Dragon Warrior Monster. Ainda lembro que o Alexandre (um amigo de um amigo meu, que eu mal vejo hoje em dia) viu o jogo e apagou na hora. A gente, em contrapartida, começou a jogar, e jogou inclusive o 2 (Sara/Codi) e o 3, de GBC também.

Voltando ao Pokémon, lembro de ter jogado o Red, o Blue, o Yellow, o Pinball (eu ADORAVA o pinball =D) e o TCG, mas não fui muito além, não tendo jogado o Gold, nem o Silver, nem os de N64, nem nada do tipo. Logo saí daqueles tempos pra me dedicar a outros jogos, outras coisas, outros sucessos mundiais u.u

De qualquer forma, saí dessa fase com músicas que devo carregar sempre, pro resto da vida. As músicas de Pallet, do Gary, do Oak, do Centro Pokémon, etc, são músicas que tenho quase certeza de que consigo lembrar sem muita dificuldade a qualquer momento em que me for solicitado. Por fora de todas essas, ainda fica a que pra mim se tornou mais marcante do que todas as outras: a abertura do desenho. Assim...

Ao que interessa...
Por causa de um video que o Valdez buzzou (do qual eu até gostei - não sem um pouco de esforço -: a música e a letra eram boas, mas os dubladores fizeram um lixo de trabalho D=), o qual não postarei aqui (preguiça de ir lá achar, e sinceramente, não gostei tanto assim), e por causa do video Cows with Guns, que o Apus me mandou no msn, acabei resolvendo ouvir a música tema do desenho do Pokémon, em inglês (era um dos videos relacionados):





Encontrei, entre os relacionados a esse video, um video do instrumental dessa música. A ouvi e percebi que ela tem um erro: aos 2min43, os backvocals cantam "Pokémon" descompassados (se ouvirem a música original perceberão que o "Pokémon" é cantado em outro tempo) e, aliás, é o único lugar onde eles aparecem. De qualquer forma, não posso negar que me agradou muito ouvir uma versão instrumental dessa abertura que tanto me agrada.



Por fim, ouvi a música da abertura em português, da qual acho que, se o leitor não sabe a letra, deveria saber:



Passado algum tempo, e não contente em somente ouvir as aberturas, comecei a freneticamente me afundar em videos e mais videos de reinterpretações dessas músicas. Digo "dessas" porque me refiro a, além da música de abertura do desenho, as músicas da trilha dos joguinhos de GB/GBC. Encontrei, então o seguinte video:



O cara parece um veadinho, sinceramente, mas tenho que admitir que é relativamente fodástico, e extremamente desocupado. Gravou muitas tracks e ficou até que bem bom \o/. Estou certo de que não teria paciência pra fazer melhor =D. Entre os relacionados, encontrei o seguinte video:



A melhor versão "a capella" que encontrei, dentre as várias a que assisti. Gostei muito! Percorri mais uns videos a capella até que, sem querer, encontrei o seguinte video:




Na descrição do video tem uma lista das músicas que o cara toca em cada momento. Adorei o video, apesar de não conohecer as músicas do Gold/Silver e do Ruby/Saphire. Ao terminar de assistir, encontrei, entre os relacionados, o seguinte video:



Procurei alguma versão melhor, porque não tinha gostado tanto assim dessa, mas, sinceramente, se alguém gravou uma versão melhor do que a desse cara, ele ainda não recebeu views o suficiente. Assisti a várias respostas ao video e tudo mais, e nada. Foi meio frustrantinho, mas devo admitir que na segunda vez em que assisti ao video gostei bem mais do que na primeira. Procurando mais, encontrei o seguinte video:



Detestei inicialmente, mas, sinceramente, no fim das contas, achei original. Além do mais, eu conheço o nome da banda, apesar de não saber de onde. Junto com isso, encontrei também isso:



Não me lembro direito como fui parar nisso, mas devo admitir que gostei affuuuu. Era um contest, pelo que eu entendi, onde o objetivo era transformar uma música "pop" em um grupo de cordas... e eles ganharam a contest com essa música \o/. Entre os relacionados, encontrei isso:



Se lerem os comentários dentro do video (aquelas annotations) verão que o cara SABE que tem 2min de espaço vazio no video. Então não se assustem: ele mesmo diz que é muito preguiçoso pra arrumar =D. Como queria ouvir algo sobre flauta (estou ultra empolgado com o início de uma nova fase com a flauta transversal com que comecei a brincar segunda-feira), procurei por alguma coisa de Pokémon pra flauta. No fim das contas, achei isso:



Me agradou bastante. Mas se o leitor for detalhista, verá que não é um dueto: tem 2 flautas de fundo (a segunda entra só no finzinho da música). De qualquer forma, muito bom! Por fim, quero só postar uma última música, que acho que é mais nerd do que boa parte das outras. Nem vou comentar, enfim. Tirem suas próprias conclusões:



Esse eu procurei literalmente pelo nome: tinha certeza de que teria um video já com exatamente esse nome, mesmo que eu não conhecesse ainda. Ficou bem bom.

Enfim... foi isso. Passei o dia ouvindo essas músicas e se eu puder ter feito com que meus leitores tenham mais ou menos a mesma felicidade/nostalgia/etc que eu tive (ou a metade dela, que seja), eu vou ficar feliz.

Só como adendo, vai o Rap Pokémon, que um amigo meu me passou logo antes de eu finalizar esse post:



R$

17 de fev de 2011

Meu começo em Flauta Transversal

Esse é o meu quarto dia desde que o Kim me passou a flauta transversal do Ian. Estou extremamente empolgado com isso, e já aprendi bastantes coisas desde segunda-feira, quando a trouxe para casa.

De lá pra cá, encontrei o seguinte video, onde aprendi como posicionar os dedos na flauta:


(tem que passar até acho que os 7min, ou algo próximo disso, porque ele vai ensinando mais ou menos como "começar" cada um dos instrumentos que ele tem em cima da mesa e passa por Sax e Trompete antes de chegar à flauta)

Mesmo com esse video, me incomodava o fato de eu simplesmente não saber se a minha embocadura estava certa e se eu estava segurando a flauta da maneira certa. Assim, após pouca procura, encontrei, no about.com, o site fluteland.com, onde achei esse video (não consegui encontrar como embed o video, então peguei o lugar onde baixar - está relativamente escondido no site D=). A mulher explica muito bem, e num inglês bem fácil de entender - ela tem um sotaque tri bom, no fim das contas -, como posicionar a flauta na boca e nas mãos.

Ao término disso tudo, revi o primeiro video, agora com um pouco mais de informações, e também assisti à lesson1 de flauta, do mesmo canal.

Para saber "que dedos fazem que notas", procurei por uma flute chart na internet, o que me fez, no fim das contas, encontrar essa aqui. Me pareceu bem boa, mas no fim das contas descobri que a "minha mais nova flauta" (não é minha efetivamente, mas deve ficar comigo por um tempo) tinha alguns probleminhas com a chave que faz o Fá. Fiquei relativamente frustrado, mas até o fim das férias não devo precisar tanto desse Fá natural aí: posso muito bem viver com Fá# por um longo tempo. E quero ver se até o fim das férias resolvo esse probleminha por minha própria conta =D

Por fim, procurei um método e encontrei o seguinte método, no 4shared: parte1 e parte2. Baixei só esse, no fim das contas. A grande utilidade dele foi que descobri que posso tapar até 1/4 do buraco onde se sopra com o meu "lower lip". Aquele vídeo do fluteland tinha me deixado na dúvida em se isso era aceitável, e agora com o método, pude matar a minha dúvida. Obviamente, ele também vai ser MEGA-útil pra quando eu quiser musiquinhas pra tocar na flauta, se bem que isso eu já tenho um monte u.u

Enfim... era isso. Eu sei que provavelmente não foi de muita utilidade esse post, mas o objetivo era falar sobre as minhas primeiras experiências e, quem sabe, ajudar novos flautistas a acharem alguma informação útil na internet sobre o assunto.

R$

13 de fev de 2011

Turkey in the Straw

Como o leitor já sabe, frequentemente estou com uma música presa na cabeça. Às vezes são músicas que já conheço de tempos, às vezes são músicas que ouvi há pouco, e às vezes são melodias que me vieram à cabeça e que não conheço de lugar algum (possivelmente tenha ouvido pouco tempo atrás ou mesmo inventado sem querer).

Hoje, acordei com uma música na cabeça: Turkey in the Straw. Já tinha lembrado dela ontem e anteontem, e até a tinha tocado na flauta, em G, porque por algum motivo era o tom em que estava soando na minha cabeça no momento em que dela me lembrei. Toquei repetidas vezes desde que acordei, enquanto esperando o computador ligar, e enquanto esperando o almoço ficar pronto, e enquanto fazendo nada também u.u.

Por acaso, lembrei por que sabia o seu nome: ela aparece num episódio do Mickey. Fui atrás do episódio e percebi algo legal (apesar de legal, foi pura coincidência): ela está em G \o/

Como estava com preguiça de continuar lendo (aliás, é o que eu deveria estar fazendo agora, pra falar a verdade, em vez de ficar aqui postando bobagem no blog), resolvi assistir ao episódio inteiro. Aí vai ele, pra quem tiver interesse.



Gostaria de aproveitar e comentar alguns aspectos extremamente interessantes sobre o episódio (ao menos pra mim).

Em primeiro lugar, a música que eles começam a tocar logo no início do episódio é, como dizem no próprio episódio, a abertura da ópera Guilherme Tell, do Rossini (sério, sempre fico com medo de escrever Ruffini no lugar u.u - sabem que que é Ruffini, né?). Pra quem não conhece, seguem dois videos que, de tanto que gosto, até baixei - pra poder ouvir um depois do outro.





Se vocês prestarem atenção nos videos da música "original" (o video da orquestra "de verdade" tocando a música), verão que o maestro até ri na hora em que começa a chover (no primeiro video): é BEM a parte da "tempestade" \o/

Voltando ao episódio, até onde sei (e acho que todo mundo deve saber, sinceramente - e me corrijam se eu estiver errado -, mas, enfim, só pra não deixar passar), essa é a primeira aparição do Donnald em um desenho da Disney. Percebam como ele toca bem flauta transversal \o/

Voltando a Turkey in the Straw, eu acho GENIAL como eles juntaram, no episódio, a parte da cavalgada do Guilherme Tell com a música que o Donnald está tocando. É claro que muita gente vai dizer que era óbvia a integração, mas, sinceramente, acho que é o caso do ovo de Colombo: não sei se seria tão óbvia se já não tivesse sido feita.

Mais uma coisa que eu adorava nos desenhos de quando eu era criança: eles sempre tinham aquelas modulações mágicas pra representar algum acontecimento engraçado. Aos 4min20, a música fica com ares árabes por causa do modo como o Mickey se movimenta (ele tinha tomado uma sorvetada nas costas). Aliás... INCRÍVEL como a orquestra "segue o maestro" quando ele levanta as mãos que nem louco por causa do sorvete u.u

Depois da tempestade, sempre vem a bonança (é assim que escreve?). Bom... no episódio a ordem não ficou bem certa (já que a bonança vem logo antes da tempestade O.o), mas não dá pra negar que a música ficou ótima e o episódio não deixou que ela perdesse tanto de suas características.

Bom... por fim... eu só queria deixar aqui duas versões da Turkey in the Straw, grande motivo que me levou a assistir a todos esses videos, que me agradaram bastante. A primeira é um quarteto de flautas em que tocam o tema princial e depois começam a tocar algumas variações do tema. Parece coisa que eu colocaria num filme: dependendo da situação, escolheria uma variação diferente (variação diferente não é redundante?). Não sei por que, mas me chamou a atenção o fato de essas gurias estarem vestindo totalmente preto e cada uma estar com uma meia de cor diferente =D



O último video é de uma versão cômica orquestrada muito agradável da referida música. Dá até pra ouvir o riso de algumas pessoas da platéia de vez em quando. Estava eu procurando alguma versão que lembrasse a do Donnald e esbarrei nisso. Sério... pra mim, valeu a pena n_n



Era isso.........

R$

7 de fev de 2011

Procrastinação

Apesar de achar o título uma palavra extremamente feia - que só fui conhecer no inglês e depois descobri que o pessoal também a usa no português -, entendo que ela realmente precisa receber o título de título dessa postagem.

Desde que as férias começaram, comecei a fazer várias coisas - e planejei várias outras que nem comecei ainda. Comecei a ler O Senhor dos Anéis (aliás, até agora não me arrependi nem um pouco), comecei a ler o tal do Guia Foca, comecei a aprender Lua (uma linguagem de programação brasileira, mantida pela UFRJ, muito usada em configuração de jogos, interpretada e extremamente eficiente - apesar de isso me ter parecido um paradoxo, no início -, além de sexy u.u) e, por último, comecei a ler alguns artigos/dissertações por causa do meu novo "trabalho" (entre aspas porque, como sempre, não gosto da etimologia da palavra: "tripalium", i.e. tortura).

--[[
Aliás, sobre o segundo e o terceiro item, gostaria de comentar algumas coisas.

Tenho lido o Guia Foca e achado muito bom. O Guia é extremamente didático, e se divide em 3 "dificuldades": iniciante, intermediário e avançado. Li inteiro o iniciante (porque não queria perder informação alguma - e, sério, o iniciante fala de algumas coisas que eu nem imaginava) e achei muito bom, apesar dos freqüentes erros. Aliás, esse é um sério problema do Guia: o cara escreve relativamente mal, na minha opinião. Mesmo assim, somente um erro que encontrei era erro sobre a explicação. Todos os outros eram erros de português. Frases siamesas, falta de preposições quando necessárias, vírgula no lugar de ponto, ponto no lugar de vírgula, etc.

Agora, tendo chegado no intermediário, ando parado (aliás... estou parado em tudo. Por isso o título do post n_n): tenho a impressão de que ele está repetindo tudo. Na verdade, acho que era essa a proposta. Provavelmente, no avançado, ele vá repetir muitas coisas do intermediário e adicionar outras, além de retirar aquelas que são mais "iniciantes". Só que, como li já o iniciante, resolvi que vou ler parte a parte.

O objetivo final de ler o Guia Foca é aprender a fuçar no linux para então saber como funciona o Xorg. Tenho tido alguns sérios problemas com os drivers da NVIDIA para minha placa de video para o ubuntu. Creio que aprender sobre o assunto, além de útil, me ajude a resolver o problema.

Sobre Lua, o livro que estou lendo é extremamente agradável. A leitura é fácil, a linguagem é absurdamente bonita (até agora não tive nada a reclamar dela) e estou parado no capítulo 8. Tenho muita vontade de começar a ler, quando me paro na frente do computador, me vem uma súbita preguiça e acabo nem começando. A linguagem é claramente imperativa, mas dá pra fazer umas "gambiarras" (na minha opinião inicial, ao menos) pra "emular" muito bem orientação a objetos. Além disso, ela também "aceita" o paradigma funcional. Como funções são "valores" na linguagem, dá pra inclusive passar elas por parâmetro pras chamadas de outras funções e coisas do tipo. Até agora, não tenho como reclamar: não me mostraram nada que eu ache incômodo na linguagem, sem falar que ela trata strings de uma forma extremamente eficiente e intuitiva (são "valores" também). O melhor de tudo, nela se escreve pouco (digo isso porque é a primeira linguagem "em que se escreve pouco" que eu pego até agora =D).
--]]

Voltando a o que eu estava dizendo, comecei muita coisa desde o início dessas férias. Estou feliz porque tem cara de que terei tempo para terminar todas aquelas que precisam ser terminadas antes do fim das aulas. Estou triste porque não consegui jogar nenhum joguinho. Não terminei Kingdom Hearts - estou parado há MUITO tempo D= -, não comecei Final Fantasy IV (DS), não fiz o joguinho que queria fazer em Lua usando a Löve (uma engine 2D com cara de muitíssimo bonita, como tudo o que vi de Lua até agora) com o Fialho e o Apus (na real, foram os únicos que demonstraram interesse em fazer o jogo, e por isso Lua é uma ótima escolha), não voltei a participar dos grupos musicais de que queria voltar a participar, não estudei alemão, não voltei à natação, e dormi bastante.

Apesar de tudo, tenho dois grandes trunfos para o término das férias: em primeiro lugar, estarei realmente descasado dessa vez. Diferentemente das outras férias, em que eu ficava frustrado porque estava sempre cheio de coisas pra fazer, dessa vez eu simplesmente joguei tudo pro alto e literalmente fiz somente aquilo que me agradava. Meio egoísta da minha parte, talvez, mas ao menos não estarei estressado ao começarem as aulas, minha mãe não me encherá o saco (na real, ela vai, de qualquer forma, porque sempre reclama que estou resmungando, apesar de ela ser a única pessoa a reclamar disso ¬¬ - beijo, mãe =D) com meu mau humor, e estarei totalmente disposto a acordar cedo pras aulas nos dias em que tiver de fazer isso. Em segundo lugar, estou significativamente satisfeito com a minha veia musical: apesar de ainda não ter voltado a nenhum grupo musical religioso do qual fazia parte (e até é bem possível que nem possa voltar, já que as aulas de LIBRAS serão bem no horário dos ensaios musicais da igreja), começarei a brincar de tocar flauta transversal (finalmente, "dei um jeito" de conseguir uma \o/). Além disso, arranjei alguém com quem tocar as maravilhosas músicas de video-game que eu tanto amo, em arranjos que nós mesmos faremos (ou talvez consigamos algum na internet, também, sei lá o>) para flauta e violão. O objetivo final mesmo é só se divertir, tocar por tocar, brincar, fazer barulho, ou música, como quiserem chamar u.u

Queria ver se conseguia a partitura da "La Historia del Tango", do Astor Piazzolla, pra tocar com o Kim (o amigo do violão). A música é pra flauta e violão, e eu sempre achei a música tri legal, apesar de bastante difícil D=. Abaixo ficam dois videos, dos movimentos 2 - Café 1930 e 3 - Nightclub 1960. Toquei esses dois movimentos num quarteto de clarinete que "formamos" no Festival de Música da UNISINOS, em novembro de 2006 (eu era um aluno, assim como mais umas 6 pessoas que lá estavam, e o professor - que era meu professor na OSPA também - me pôs pra tocar junto com ele e mais dois que lá estavam, ambos militares). Fica aí, pra que, quando eu quiser ouvir, eu possa =D





(ai ai... que preguiça T_T)

Era isso.........

R$

4 de fev de 2011

Homeland ~ Mais musiquinhas

Assim como o post anterior, esse post é principalmente pra deixar feliz em compartilhar com alguém um conhecimento adquirido extremamente interessante para mim, mas nem tão interessante para outrem, provavelmente, infelizmente D=

A verdade é que ultimamente tenho ouvido muitas (MUITO MAIS do que o normal) músicas de joguinhos de SNES, especialmente FF IV e Chrono Trigger (além de um pouco de Secret of mana e um pouco de FF VI, como sempre). Tenho feito algumas descobertas sobre o assunto (o leitor deverá ficar se perguntando que tipo de descoberta se faz em trilha de jogo) e ficado signifiticativamente satisfeito com isso. Assim, gostaria de compartilhar.

Como o leitor deve se lembrar, no post anterior, eu escrevi sobre uma mulher que tocava seu "electone" (a vestida de Yoshi) e sobre umas músicas muito bem interpretadas por ela. Andei ouvindo alguns videos dela e encontrei (sem dificuldade), o seguinte video:



Nele, a partir dos 3min06, a música a ser interpretada passa a ser Homeland. Ouvi a versão que ela estava a tocar e percebi que conhecia de algum lugar. Não sabia ainda donde, mas tinha certeza de já ter ouvido exatamente essa versão. Por isso, fui procurar.

Não foi difícil encontrar a música original de onde ela tinha sido tirada:



E nem perceber que a sua versão era idêntica à do Dragon Warrior Monster, pra GB, que muito joguei durante a minha infância:



Mas, depois de pouco tempo (foi tudo muito rápido e eu ía ouvindo cada versão "original" que eu encontrava e achava boa), encontrei os videos do concerto que o Sugiyama fez com a orquestra de Londres, especificamente esse:



E pensei "será que tem homeland nesse concerto?". TINHA, e estava nos relacionados:



Para minha surpresa, a versão tocada era EXATAMENTE a mesma versão da do Yoshi \o/ \o/. Quando descobri, fiquei extremamente feliz e satisfeito, e resolvi fazer um post sobre isso. Assim, cá estou.

--------------------------------------------------

 Eu fiquei na dúvida de se escrevia mais um post somente sobre isso, mas achei desnecessário, no sentido de que então seriam 3 post somente sobre videos no youtube, músicas e joguinhos. Assim, aqui vão mais algumas coisas que descobri e que me deixaram extremamente feliz:

Há pouco menos de um ano, escrevi uma versão para piano da The Decisive Battle (hospedei no MediaFire e to com medo de ele deletar o arquivo depois de um tempo. Por isso, se der algum problema e quiserem o arquivo, é só deixar um comentário que eu rehospedo e respondo u.u), do FF VI, de SNES. Ela tem dois errinhos em especial, que devo comentar algum dia se necessário. Fora isso, na minha opinião, ela está certinha \o/. No post anterior, tinha deixado um link de um cara tocando "The Dreadful Fight", do FF IV, no piano. Não tinha ainda olhado o seu canal. O cara também tem uma versão para piano da The Decisive Battle. Achei muito bom:



Fora a parte em que ele foge pra uma harmonia a estilo Touhou, a música tá, na minha opinião, toda "certa" - e, de qualquer forma, a harmonia das músicas do Touhou é ÓTIMA \o/. Também tem a música da batalha comum, pra ouvirem - ficou ótima:



Além disso, descobri - o que me deixou TOTALMENTE a fim de jogar FF IV pra DS emulado aqui no PC (pra poder ouvir tri bem as músicas e ficar muito extasiado com elas) - que as músicas do FF IV foram totalmente tocadas \o/. Elas não são mais aqueles midis fedorentos - se bem que eu gosto dos midis -, mas são tocadas de verdade. Pra falar a verdade, eu não posso dizer nada com certeza: pode muito bem ser um sintetizador com um som tri bom tocando. Mas me convenceu affuuuu, e eu tenho ouvido direto a The Dreadful Fight de DS =D

Por fim, gostaria de pôr mais uma musiquinha aqui que transcrevi, também há quase um ano, na casa do Apus: The Brink of Time. Acho que ficou bem certinha... e vai que alguém se interessa em tocar u.u. Essa tá com a versão inteira da orquestra. Ficou bem biita =D

Enfim... era isso =D Já falei de mais até, acho.

R$

1 de fev de 2011

Coisas do oriente

Essa postagem é meio que desencargo de consciência. Estou há mais de dois meses sem postar nada, e venho há algum tempo acumulando coisas que quero compartilhar.

Hoje estava eu dando uma olhada nos videos da Banda SSH (o significado da sigla em nada tem a ver com Secure Shell), banda que descobri ontem, procurando por videos de músicas do Final Fantasy na internet (a banda é boa, mas não é lá tudo isso, na minha opinião. De qualquer forma, é importante salientar que ela é japonesa - o leitor deve atentar para o fato de que boa parte do conteúdo desse post - inclusive o título - é sobre coisas orientais), e me deparei novamente com o seguinte video:



Eu já conhecia o video, mas não tenho como negar que me agrada muito ouvir a música do Gilgamesh, do Final Fantasy V. Mandei o video pra alguns amigos de um chat do qual participo e me mandaram o seguinte link:



Fiquei IMPRESSIONADO. Se já tinha gostado muito dos videos da mulher do primeiro video (sim, mesmo vestida de Yoshi, em outros videos dá pra perceber que é uma guria), fiquei tanto mais impressionado com os videos do canal dessa outra. Lá tem versões muito bem feitas de vários joguinhos que joguei durante a minha infância, além do tema do Piratas do Caribe muitíssimo bem interpretado.

Além disso, encontrei a seguinte versão da música "The Dreadful Fight", do Final Fantasy IV, que me agradou muito:



Aliás... foi essa música que me levou a achar tudo. O Fialho tinha me mandado um link para o seguinte video (na verdade era outro, mas esse tem subtitles, o que é melhor pra entender a moral das imagenzinhas u.u)



dizendo que tinha ficado muito bom e tudo mais. Na hora, não lembrava da música e acabei olhando outros vídeos relacionados, nem dando tanta atenção à música em especial - dando mais atenção à tal banda Hyadain ali (a música do Ultros é Johnny C Bad com letra e ficou bem legal). Mas de qualquer forma peguei a trilha do Final Fantasy IV e me parei a ouvir enquanto lia sobre Lua (assunto para o próximo post). Hoje detarde estava ouvindo novamente a trilha e me liguei que conhecia a melodia da The Dreadful Fight, no que voltei imediatamente ao video do Fialho (tinha deixado aberto para ouvir novamente hoje) e percebi que era mesmo a mesma música. Na hora, comecei a procurar videos de pessoas jogando aquela parte do jogo e tudo mais. Quando me dei por conta, estava com um monte de abas do youtube abertas u.u

Outra coisa que achei, no fim das contas, por causa da "darksugar 178" - já me inscrevi no seu canal (\o/) - foi esse video do Wind Scene (a música de 600D.C. do Chrono Trigger) sendo tocado "fantasmagoricamente". Não é tão lá grande coisa, mas como aqui é um lugar onde eu poderei voltar sempre que quiser assistir-lhe (e normalmente o Youtube não nos redireciona pra videos com escritos em japonês nas suas buscas, tornando esse video difícil de encontrar), resolvi postar junto com tudo:



Por fim... vai o video de que eu mais gostei, disparado. Eu sei que os outros até podem ter sido melhores, mas como esse é de uma música de que eu gosto muito, acho que fico mais inclinado a gostar dele do que dos outros \o/



Enfim... esse post foi praticamente só de coisas "orientais" que encontrei por aí. Não foi por querer. Foi totalmente ao acaso... apesar de bem interessante, na minha opinião. Provavelmente outras pessoas não gostem dele tanto quanto eu, mas admito que estou bem satisfeito com esse post de "retorno". Chega de videos agora, né?

AAA... lembro agora que o motivo de o Fialho ter me mandado aquele link - o link da Hyadain, sabem? - foi que eu perguntei pra ele sobre a SSH, que tinha conhecido na noite anterior, procurando por músicas de Secret of Mana na internet u.u.

Era isso... u.u

R$