29 de ago de 2010

Perfumes

Estamos no fim de agosto................

Semana passada, na segunda-feira, estava eu passando junto a meus irmãos pelo caminho que eles fazem até a parada onde pegam ônibus e senti um cheiro maravilhoso. Na hora, soube o que era, disse, e fiquei perguntando se eles não sabiam onde havia a planta causa daquele maravilhoso perfume.

Ao passar por ali denovo na volta, senti o mesmo cheiro. Falei, e eles apontaram pra uma árvore qualquer, como que folgando da minha cara. Admito... o perfume da flor da laranjeira me deixa louco.

Na verdade, acho que sempre fui meio sem noção com relação a alguns "odores" (nem sempre, pra os outros, o cheiro é tão bom assim). Quando eu era criança, adorava pegar aquelas borrachas verdes, da marca Mercur, e passar minutos pondo-as no meu nariz, pra sentir o cheiro forte que elas, quando novas, largavam. Também adorava o cheiro das piscinas. Lembram daquelas piscinas de 1000 litros, que as mães adoram ter pra encher e ficar sentadas, relaxando, quando tá muito quente?!?! Eu adorava o cheiro delas. Aliás... o leitor também, não!?!? Aquele cheiro de plástico que parece que se renova a cada ano, quando ela fica guardada até que chegue o verão (ao menos aqui no sul, onde não é quente o ano todo =D).

Outra coisa de cujo cheiro eu gostava muito era o das cartas novas de magic. Tinha gente que dizia que o cheiro era tri ruim. Fala sério!!! O cheiro era maravilhoso. Passava tempos (não quis dizer horas porque não é verdade u.u) com aquelas cartas no nariz, cheirando-as. Mas é claro que as pessoas não sabiam disso: se não, possivelmente, eu nunca teria conseguido trocar carta alguma =D

Por último, lembro que gostava também dos cheiros dos chaveiros de plástico (aqueles que tinham um gel dentro, sabe?!?!) e dos folders feito de um "papel plasticozado" (é quase o mesmo cheiro, sei lá), que eram tão maravilhosos quanto o das piscinas de 1000 litros. Aliás... se todos reclamam que não fazem mais piscinas de 1000 litros fortes quanto antigamente, ficarei triste quando souber que não fazem mais com o seu antigo cheiro ^^

Quando estava chegando aqui em Guaíba ontem, desci numa rua chamada "São Paulo", onde é mais perto de casa. Enquanto vinha subindo em direção à minha casa, senti o mesmo maravilhoso perfume do início do post. Na hora soube o que procurava e, ao olhar para o lado, encontrei uma enorme laranjeira, perfeita, toda florida, branquinha. Infelizmente, apesar de ter uma bela laranjeira aqui no pátio de casa, ela não estava nada florida. Pelo contrário: seus botões pareciam bem longe de começar a exalar seu perfume para o ar. De qualquer forma, não estou triste: estou certo de que logo elas vão florescer. E melhor: como também sou louco pelas azaléias que estão para florescer no início da próxima estação, parece que satisfarei os olhos e as narinas tudo ao mesmo tempo. Mas a azaléia é coisa para outro post =D

Eras isso........

R$

20 de ago de 2010

Treinamento de ouvido absoluto

Esses dias, fui jantar no RU do centro relativamente cedo, crente de que, por ser cedo, não encontraria ninguém pra almoçar comigo. Estava errado: tendo sentado perto dos bufetes (sim, essa palavra tem tradução pro português, tal como xampu e outras atrocidades da língua portuguesa), logo me apareceu o Daniel, um amigo da engenharia de produção.

Ele é o tipo de pessoa carismática que conhece MUITA gente. Por causa disso, logo apareceu alguém que ele conhecia - e eu não - pra sentar junto e conversar com ele (eu não tinha muito o que conversar até que o cara aparecesse, então, de certa forma, admito que dei graças a Deus).

Por acaso, a pessoa começou a falar de música. Gosto do assunto, mas o Daniel é tri sabidão do assunto e preferi ficar só ouvindo o que íam conversar. De repente, o amigo do Daniel (seu nome é Natanael - o que, praticamente, evidencia a sua crença, ou, ao menos, a de sua família ^o) ) disse algo sobre que me interessei significativamente: um "treinamento de ouvido absoluto". Disse ele que encontrou um site onde havia um modo de exercitar o ouvido de forma a torná-lo absoluto. Desconfiei - e, sinceramente, seriamente, não vejo muito motivo pra se preocupar em "ter ouvido absoluto", já que a idéia de "ouvido relativo" pra mim, aĺém de fazer MUITO mais sentido, me parece muito mais útil (uma hora explico meus motivos: sei que, num primeiro momento, todos prefeririam o absoluto) -, mas, como ele passou o endereço do site para o Daniel, guardei "na mente" o nome também.

Sinceramente, creio que o pessoal do marketing do site tem muito a aprender: não consigo enxergar a relação entre o site e o seu nome, mas, quem sou eu pra julgar?!?! De qualquer forma, digo-o de uma vez: PROLOBE O.o.

A essa altura, o leitor provavelmente já deve estar se perguntando: por que essa maldita imagem psicodélica aqui ao lado?!?! O motivo é que o site fala sobre uns tais de Pitch Chromas (cores das notas, em tradução livre). A ideia é mais ou menos a seguinte: "se conseguimos distinguir perfeitamente as cores com os olhos, por que não, da mesma forma, distinguir as notas com os ouvidos?!?!". Pensei no assunto e, tendo imaginado qual seria o resultado ao tentar distinguir uma música cheia de notas tocadas em harmonia e o "diabo a quatro" (roubei essa expressão da Ana Paula =D), lembrei da imagem (ela foi papel de parede do computador lá de casa durante um bom tempo). Creio que, se fôssemos tentar distinguir a música com os olhos, ela seria algo bem parecido O.o.

Bom... enfim... eu não sei se vai dar certo o tal do "treinamento", mas acho que não custa nada tentar. De qualquer forma, acho que não vai ser tão cedo: tenho planos e acho que ter o ouvido absoluto ainda não é algo tão importante pra manutenção da minha sanidade intelectual no momento.

Mesmo assim, "fikdik" =D

Eras isso...

R$

19 de ago de 2010

Final Fantasy with Lyrics

Como o leitor sabe, frequentemente eu fico com uma música na cabeça. Às vezes, a música fica só um tempinho e logo vai embora. Noutras, a música fica bastante tempo, como um bom número de horas ou até mesmo dias.

Há dois dias eu ouvi a música presente nesse video. É um vídeo do brentalfloss, um cara que frequentemente pega músicas muito legais de joguinhos que fizeram parte da sua (e, em muitos casos, da minha - apesar de, acho, ele ter uma idade bem superior à minha) infância e escreve uma letra, a qual ele ajunta com a música e cria "clássicos" (digo assim porque, apesar de eu não ter jogado o jogo, acabei vivendo momentos muito bons graças a essa música e um jogo chamado IWBTG) como o Dr. Wily Stage 1 do Megaman 2 ou a música de Abertura do Megaman 3 (tá... admito que também só conheço a trilha sonora do Megaman 3, e não o jogo em si, mas pretendo virá-lo assim que tiver concluído meus "outros planos" de vida =D).

De qualquer forma, a parte importante desse post é a música do tema do Final Fantasy. É muito boa!!! MUITO!!! Tanto que está na minha cabeça há dois dias e eu já a ouvi umas 30 ou 40 vezes (sem exageros). Estou a ouvindo agora, enquanto escrevo nesse blog \o/.

Gostaria de comentar algumas coisas que me chamam a atenção na música que acho que devem ser ressaltadas:

1 - Vocês já prestaram atenção na bela bateria que aparece bem no iniciozinho da música, lá pelos 6 e depois pelos 8 segundos de música?!?! Tenho a impressão de que, se não fosse por essa bateria, não gostaria tanto desse início =D

2 - Vocês viram o baixo do piano que entra quando ele canta "Come, let fly..."?!!? Eu passei o dia cantando esse baixo (enquanto estava na faculdade e não podia ouvir a música) pra chegar aqui e descobrir que ele realmente estava no lugar onde eu achei que ele estava.

3 - A "firula" de que eu definitivamente mais gosto nessa música é o que faz a guitarra, primeiro aos 1min14 e depois aos 1min30 (principalmente nesse último momento). Quando me ligo que acabei de ouvir essa parte da música sem prestar muita atenção, frequentemente volto e ouço denovo cuidando os detalhezinhos dessa guitarrinha sacana.

4 - Eu não poderia deixar de comentar sobre o finzinho, quando ele canta "We'll save humankind like we allways wanted when we were little ...". A barulheira dos outros instrumentos dá lugar a um piano calminho e um som que não consegui identificar mas que suporei que seja algum efeito da bateria =D. Adoro essa parte, não só pelo instrumental, mas principalmente pela letra.

Enfim... enfim... não tinha muito o que escrever e, since esse blog é meu, resolvi escrever sobre o que mais estava me influenciando nesses últimos dias: essa música. Espero que tenham gostado =D

AAA... e... caso tenham gostado da música, esse link leva pra um lugar onde poderão comprar o CD "What if this CD had lyrics", do mesmo autor. Acho que vale tanto a pena que to até a fim de comprar \o/.

É isso...

R$

11 de ago de 2010

Spoils

Estou lendo os Cavalheiros do Zodíaco.



Há anos que tenho a série completa: meu vizinho, com o intuito de se livrar dos seus mangás (ele tinha "crescido" e não queria mais os mangás, apesar de ainda cultivar um amor por eles), vendeu a série completa do Dragon Ball por míseros R$80 e junto com eles nos deu os Cavalheiros do Zodíaco totalmente de grátis. Lembro que ele tinha muitos outros também. Se não me engano, tinha Ranma 1/2, Dr. Slump (acho que é esse o nome da série - desculpem a minha n00bisse D=) e, inclusive (sério, esse em especial eu queria ter comprado também), CardCaptor Sakura (que eu, como veio pra o Brasil, prefiro chamar de "Sakura CardCaptor"). Lembro que o único que ele disse que ía manter era o Samurai X.

Além dos mangás, ele também tinha a Ilíada, a Odisséia, o Senhor dos Anéis e uma versão em quadrinhos do Hobbit - que ele tinha comprado só pra conhecer a história anterior ao Senhor dos anéis de forma rápida, sem compromisso.

De qualquer forma, voltando ao CDZ, estou lendo. Nunca pensei que o mangá fosse tão emocionante. Tendo sido influenciado pela opinião de outrem, que diziam que o mangá não era a mesma coisa que o anime, nem dava muita importância, já que até a armadura dos chars era diferente. Agora, lendo o mangá efetivamente - sem a influência dos outros -, minha opinião é totalmente diferente. O mangá corre MUITO mais que o anime, e os cavalheiros simplesmente não param nunca, sempre lutando para defender Atena, que vive "se metendo nas mais incríveis confusões". Além disso, em todo o momento acontecem revelações bombásticas, como o fato (tá tá, todo mundo sabia, mas dá pra ver que quem não sabia acabaria ficando bem assustado) de o Mu de Jamire ser o Cavalheiro de Aries e o fato de que (outra coisa que todo mundo já sabia, mas, err, enfim, se eu não conhecesse, ficaria bem entusiasmado) Marin é a irmã do Seiya.

Mas tem uma coisa que me deixou totalmente desconformado com o mundo: todos os cavalheiros de bronze que participaram do torneio intergaláctico são irmãos, filhos do avô (de criação, é claro, porque ela nasceu em frente à estátua da Atena, no Santuário, pelo que deu pra entender) da Saori Kido, Mitsumasa Kido. O cara tinha 100 filhos - com as mais diversas mulheres - órfãos (o que me dá a impressão de que ele também tinha filhos não órfãos que não foram para o treinamento) e mandou todos pra muito provavelmente morrer (só 10 conseguiram voltar) em um treinamento pra uma armadura de bronze O.o

Coisas estranhas a parte, mangá tá sendo perfeito. Infelizmente, tem algumas sérias inconsistências com o desenho que assim que eu terminar o mangá pretendo verificar (quero ver se vejo o desenho pra comparar), mas, de qualquer forma, até agora, tudo o que me diziam sobre "aaa... tem um monte de inconsistências no CDZ porque o escritor frequentemente viajava e aí outros escreviam no lugar dele" não parece se aplicar: a única coisa extremamente estranha do mangá (e, acho, do desenho) pra mim é que, se a Marin é irmã do Seiya e o treinou, quem a treinou tão rápido (da partida do Seiya do Japão até a chegada dele no Santuário)?!?! Sério dilema O.o (mas até agora ainda não foi confirmado que ela realmente é quem dizem ser)



É isso... queria ter postado mais coisas até agora, mas, como sempre, esqueço. Espero que o leitor não deixe de vir aqui por isso u.u

R$