27 de nov de 2010

Why are we happy?

Meu colega, o Valdez, buzzou uma palestra "do TED" que achei muito boa. Eu de vez em quando reclamava pra ele que ele buzzava muita coisa e, acho que não só eu, pedi que ele filtrasse um pouco mais o que ele publicava pra os seus conhecidos. Mas tenho que admitir que ultimamente grande parte das coisas que tenho visto têm sido bem boas - ao menos pra os meus interesses (como essa palestra).

Achei que vale bastante a pena eu "repostar" ela aqui. Tá certo que tem só meia dúzia de pessoas que lêem esse meu blog (tenho uma média de 2 a 3 visitas por dia por aqui D=), mas creio no seu nível e acho que, se eles ainda não viram a palestra, vão gostar de ver =D

Aviso que, apesar de estar em inglês, pra quem já viu que não vai entender nada, tem legendas em 31 idiomas. É só clicar no botãozinho ali embaixo onde diz "subtitles" e um mar de opções se abrirá para todos (hãn hãn, entenderam o trocadilho??) Então, se vocês quiserem assistir a palestra em cantonês, podem fazê-lo também \o/


Assim... aí vai a palestra, que tenho que admitir que me deixou bem pensante, no fim das contas:




Eras isso...


R$

26 de nov de 2010

Chocolate

Chocolate é gosto de comer
Chocolate é gosto de beber
Chocolate negro
Chocolate branco
doce, amargo, meio amargo
é só nele que eu me amarro
é bom não começar, se não não vou parar
[...]
Chocolate EOOOO (bis)
Chocolate meu mais doce tesouro
Chocolate EOOOO (bis)
Chocolate vale mais do que ouro

Estava eu com umas músicas brasileiras ultimamente na cabeça. Começou com "Saidera" (não deu pra embedar porque o dono do video no youtube desativou a "incorporação" ¬¬), do Skank.

Aí, pulei pra "É proibido fumar", da mesma banda: encontrei o link em um dos vídeos relacionados no próprio youtube. Sério... hoje em dia eu vejo o quanto o Skank era bom. Nossa: eles tinham instrumentos super alternativos, faziam um som bom, divertido, e as letras não eram nada do tipo "to ficando atoladinha", "um tapinha não dói" ou "eu pego o meu batom e pi-pi-pinto na boquinha". Só cuidar a letra da "É proibido fumar": apesar de tentarem bagaceirar um pouco, mantiveram AFFUUUU o ritmo, a rima, e a decência. Sem falar da referência a "Peter Gun Theme", do Blues Brothers, no início da música \o/ \o/

To até pensando em começar a baixar a discografia, no fim das contas.

Bom... mas... aí, do nada, me veio na cabeça uma música da qual eu de vez em quando me lembro: Chocolate, da Angélica. Sério, quem é o leitor desse blog que NUNCA ouviu essa música?? Fala sério, a música é épica o//

Tipo que ela tem uma letra simples, um instrumental humilde e uma cantora que não canta nada grandes coisas, mas conseguiu se tornar um clássico dos anos 90, na minha humilde opinião. Por isso... aí vai o video - quero ver se consigo ajudar o video e aumentar o número de views, de forma que ao menos passe de 100 ;D



Eras isso...

R$

19 de nov de 2010

Youtube Orchestra

Adivinhem!!!

Em 2011, o Youtube Orchestra voltará \o/ \o/

Dessa vez, em Sidney, na Opera House, onde músicos que uparem seus videos tocando e forem selecionados, de vários países, participarão de um espetáculo que integra música e a "nova era da informação".

Se eu tivesse dinheiro, certamente iria D=. Mas, como tenho, faço "propaganda" aqui, para que, se alguém que ler isso souber de alguém que toca bem o suficiente para achar que poderia participar de um evento global como esse (na real, sinceramente, quanto mais uploaders tivermos, melhor, na minha humilde opinião), avise-o o quanto antes.

Infelizmente, só fui me ligar desses trecos ontem, e agora é que estou postando alguma coisa sobre o assunto. Infelizmente, o prazo para que sejam upados videos no youtube se esgota no dia 28 de novembro, daqui a pouco mais de uma semana, o que significa que, se alguém quiser participar, vai ter de dar o melhor de si e estudar a sua música com muita dedicação: é MUITO importante não deixar para a última hora para upar, já que, como sabemos, nunca devemos deixar o windows saber que estamos com pressa, e que, como também sabemos, se uma coisa pode dar errado, ela vai dar errado da pior forma possível u.u

É nessas horas que dá pena eu não tocar mais clarinete (não tem flauta doce na orquestra deles D= u.u), mas, aaa, que se dane, eu nem queria mesmo =D Mas uma hora em que eu estiver com mais saco resolvo começar a tocar um instrumento menos fresco que o clarinete, com o qual eu não precise me preocupar tanto em ficar cuidando e tocando todo dia (ou então não melhoro / fico ruim / o instrumento racha ¬¬).

Para aqueles que não quiserem entrar no site, podem ver o video abaixo, ao menos (ele tem legenda em 43294239 línguas, para quem quiser ver em cantonês, por exemplo) - aí talvez se incitem a se mobilizar e avisar seus vizinhos dessa maravilhosa notícia \o/



É isso \o/

R$

31 de out de 2010

Poemas no blog [4]

Essa semana "me ataquei" da rinite. Tenho rinite alérgica e de vez em quando começo a espirrar, "corizar" e todos os sintomas decorrentes do alérgico que vive em meio à poeira e à sujeira do apartamento em que mora (dos 4 que moram lá, 3 são alérgicos - e eu sou o que menos se importa com a sujeira do apartamento), principalmente da cama (demoro muito pra trocar os lençóis e só troco quando a minha vó me manda).

Estava bem ruim. Até tive que trazer de volta o rolo de papel higiênico pra perto do computador. Mas logo comecei a usar o remédio: furoato de fluticazona (vulgo Avamys). O médico sempre diz pra eu usar continuamente, mas eu só uso quando fico ruim. Faço assim porque o remédio é caro e porque eu sou vagabundo demais pra ficar me lembrar de usar o treco todos os dias (se bem que eu tomo outros dois remédios de 12h/12h e nem é tão difícil assim).

De qualquer forma, agora já estou muitíssimo melhor. Eu poderia dizer: estou totalmente bem; mas tenho medo de não estar tãããão bem assim (agora há pouco mesmo tive de assoar o nariz).


Quando fui falar que estava ruim da rinite para o pessoal do chat do msn do qual participo, me liguei que dava pra brincar com a "musicalidade" das expressões "atchim" e "atchum", uma seguida da outra (não sei explicar, mas vai ficar mais claro durante o poema). No que comecei a escrever (tinha escrito 5 linhas), me liguei que o poema lembrava MUITO (ao menos a mim) o poema Debussy do Manuel Bandeira (até fui procurar pelos poemas do Bandeira pra saber do nome certo - eu lembrava o poema, mas não, o nome [achei que essa vírgula ali ficou esquisita, mas sinceramente lembro de ter aprendido que quando a gente vai omitir o verbo tem que pôr uma vírgula pra "guardar o lugar" dele]).

Por isso, resolvi usar o "template" do poema dele pra me basear. Assim... aí vai =D

Rinite
(usando o template de Debussy, de Manuel Bandeira)

Atchim, atchum...
Atchim, atchum...
Estou atacado da rinite
Atchim, atchum...
Atchim, atchum...
Ainda bem que não é sinusite
(espirro sem parar...)
E que não posso mais ter amidalite
Passo a usar o remédio direito
Atchim, atchum...
Atchim, ...
O remédio fez efeito
John Gamboa - 31/11/2010

Espero que tenham gostado... sei lá

R$

29 de out de 2010

O lado feio do cristianismo

Recebi um e-mail esses dias na lista de discussão da igreja. No fim dele (eu li até o fim, já que, apesar de ser sobre política, era um dos poucos que não estavam somente listando males de um ou de outro candidato e dizendo pra votar no contrário), encontrei isso:

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de
reprodução sem autorização por escrito da BBC.


Depois de ler isso, fiquei pensando: era crente quem me mandou isso O.o (afinal, foi pra lista de discussão da igreja - e, sim, eu conheço a pessoa).

Da mesma forma, conheço alguns (e não é difícil encontrar no centro de PoA) cristãos camelôs. Eu posso dizer "aaa... mas ele tá trabalhando, e é a forma que ele tem de ganhar a vida", mas convenhamos que, no mínimo, isso deve ser considerado estranho ("dêem a César o que é de César"), né??

Por último, todos os anos, no natal ou na páscoa, a gente realiza um evento evangelístico que mobiliza toda a igreja de Guaíba (e alguns de Canoas também, sem contar quando vem gente de lá de Arapongas nos ajudar). É um dos poucos eventos evangelísticos promovidos pela igreja que realmente eu considero de boa qualidade: não é crivado de clichês "manda fogo" ou "faz chover", não é lotado de gritos de "Aleluia" e "Glória a Deus" (não querendo falar nada, mas sinceramente eu acho que isso significativamente deve afastar os ditos "ímpios" - que palavrinha horrorosa - da igreja) e as pessoas se vestem de um jeito natural, demonstrando que "crentes" também são "pessoas normais". Além disso, tem música boa, tanto no instrumental - normalmente uma orquestra bem boa - quanto no coral - como todo mundo fica meio que num furor pela apresentação, a coisa flui melhor do que se fosse só um trequinho tosco feito uma vez lá que outra.

O que me incomoda nessas cantatas é o xerox. Claro, claro: no Brasil, tirar xerox de música, além de ser algo TREMENDAMENTE normal, é algo que não dá multa muito cara. Mas, como bons cristão, não acho que isso seria o certo a se fazer O.o D=. No caderno das partituras da cantata, tem até escrito, bem grande, pra todo mundo ler, num quadrado chamativo, o seguinte aviso:

Importante:
É proibida a reprodução deste material com ou sem fins lucrativos. Os direitos de reprodução no Brasil são exclusivos da Ômega Alfa Ômega, conforme contrato com os produtores originais.


Mesmo assim.........

Não sou a favor de se comprar Windows original. Não sou a favor de se comprar algo além de um único exemplar das partituras da cantata que vamos apresentar, e só não sou a favor dos camelôs porque eles privatizam o espaço público (argumento que minha prima Jussara me deu sobre o assunto e que eu considerei muitíssimo bom =D). Baixo jogos "piratas" da internet e emulo roms de SNES sem nunca ter tido o cartucho. Por último, acho UM ABSURDO me dizerem que a indústria dos games vai terminar se continuarem pirateando tudo o que eles fazem por aí... ¬¬ (será que o Marcelo lê isso??)

Não considero errado quem faz tais coisas - como pode ter dado a entender o que escrevi antes. Só que acho estranho. Acho "feio". Acho que as leis precisam mudar, evoluir, e terminar com todo esse poder da propriedade intelectual e só assim terei a minha consciência tranquila quando eu quiser pegar o StarCraft II crackeado do meu primo (diz meu primo que conseguiu um na internet, quero ver =D) pra jogar.

Enfim... o que eu quis dizer é que os cristãos vivem dizendo que Cristo muda a nossa vida, e faz e acontece, mas me parece que tem um monte de coisas que eles continuam fazendo sem nem se dar por conta. Coisas pequenas, claro (nenhum cristão sai roubando, matando, estuprando, e não sabe que isso é errado - creio, ao menos), e, na minha opinião, não erradas, mas........ "feias"...

É isso =D

R$

25 de out de 2010

Mortal Kombat

Estava conversando com alguns amigos ontem, enquanto ía até a ULBRA Canoas para participarmos da comemoração dos 493 anos da Reforma Protestante (algo que, sinceramente, a CELSP faz muito bem - e é uma pena a nossa igreja não comemorar data tão importante, sinceramente ¬¬) - alguns de nós que fomos participamos ou do coro ou da orquestra que lá estavam - e de repente surgiu o assunto do trailler do Mortal Kombat, que ficou meio famosinho no youtube algum tempo atrás.

Na hora falei que achava que era fake, porque, sinceramente, sério, parece muito, mas não consegui argumentar sobre o motivo, já que logo trocamos para outro assunto. Resolvi, por isso, procurar por algumas coisas na internet.

Falaram, em primeiro lugar, que o Reptile tem Síndrome de Arlequim O.o. Bom... por mim, tudo bem. Não me parece algo bizarro: ele até que poderia ter, pra ter ficado com a cara daquele jeito. Mas isso sinceramente retiraria toda a "fantasia" do MK de ter um cara que larga ácido pela boca D= (até porque, convenhamos, que explicação científica agora eles íam dar pra o Sub-Zero congelar pessoas e pra o Scorpion estar no inferno??)

Mas o que me incomodou - e foi o motivo de eu achar que é fake - é que eles usaram imagens de um conhecido vídeo do youtube sobre a Síndrome de Arlequim (coloquei o link porque isso me fez me lembrar que o nome da "fêmea" do Coringa é Arlequina), quando falam do Reptile. Convenhamos, que filme de credibilidade usaria um video comum do youtube pra falar sobre uma doença?? Óbvio que temos filmes como Sinais, que usou o video do ET de Passo Fundo, mas, bááá, sei lá, o video de Passo Fundo não era tão conhecido como o usado nesse filme, e o Sinais nem lá é um filme tão grande coisa (tá tá, como se o MK fosse u_u).

Jax, no suposto filme =D



De qualquer forma, entrem no link da descrição do trailler, e verão que realmente o site imdb (Internet Movie Data Base) tem um "artigo" sobre o filme, que, de acordo com eles, deve sair em 2013 - o que me dá 3 anos pra ver se o negócio realmente vai fluir =D. Lá eles dizem que "they are gonna do how they wanted to do it originally which is very dark", então, é esperar pra ver - ou não, supondo que seja fake (como, sinceramente, vou ficar crendo até ver os cartazes no cinema mais próximo da minha casa =D).

R$

22 de out de 2010

O Lixo

Hoje vou escrever sobre o lixo...

Quarta-feira, esperava eu na parada, na PUC, na volta da natação, quando, sem nada para fazer, percebi um cara descascando uma bala e - para minha surpresa - simplesmente soltando o papel, como se nada estivesse acontecendo (sabe aquela dissimulação que a gente faz quando quer soltar lixo no chão - ou quando quer soltar tatu do nariz =D - sem ser notado??). Ele conversava com uma mulher e, tendo eu visto o seu ato, logo me levantei e ajuntei do chão aquilo que acabara de soltar, meio que brusco em meus atos, de forma que ele - ao menos tentando isso - percebesse o que eu fazia (e no mínimo ficasse envergonhado). Acho que não percebeu D=

Cinco minutos mais tarde (de acordo com o meu relógio, deu exatamente cinco minutos, mas não sei dos segundos =D) passou um cara juntando lixo do chão e das lixeiras, procurando por algo que pudesse aproveitar. Fiquei pensando: interessante: o que é lixo pra uns às vezes pode ser "tesouro" para outros. (na real, nada em que eu já não tivesse pensado antes, óbvio


No mesmo dia, ainda na rua - caminhei bastante na quarta-feira -, vi 3 vezes acontecer a mesma coisa (na última acho que até estava já com meus irmãos, se não me engano - o que, pelo pouco que me lembro, foi o que gerou a conversa sobre o assunto naquele momento): pessoas fumantes que, ao terminar o seu cigarro, jogaram a sua bituca no chão, da mesma forma dissimulada (ou não) do cara do papel de bala do início do post.

Será que as pessoas não se ligam que estão sujando a cidade?? Que desgraça!!! Sério... muita indignação!!!
Gostei dessa imagenzinha que achei no google. Vai ela aí =D

Acho engraçado, porque parece que as pessoas aprenderam com os "malandros" dos filmes a fazer coisas desse tipo. Tanto que durante a conversa sobre o assunto de que falei dois parágrafos atrás o mano até referiu o caso de uma mulher que, esperando o ônibus ao lado de uma lixeira na parada que tem aqui perto de casa, ao terminar o cigarro, em vez de pôr na lixeira, simplesmente largou no chão.

Fico me perguntando: onde é que tá a cabeça dessa gente?? Ela tava DO LADO da lixeira!!!

Mas ao mesmo tempo caio no caso em que as pessoas não tem cultura - não tiveram educação, sei lá - pra saber o quanto mal estão fazendo (e que mal é esse afinal??) quando jogam lixo nas ruas. E também fico pensando nas pessoas que, como no início do post, usam do lixo posto fora para seu próprio sustento. Seria difícil pra o cara encontrar "lixo bom" se ele não estivesse disponível em algum lugar fácil de pegar (supondo o caso em que os caras da prefeitura sempre recolhem o lixo das lixeiras =D) - o chão.

Pra finalizar, me lembro sempre de um poema do Manoel Bandeira quando penso em lixo. Deixo ele aí pra não dizerem que o meu post (completamente sem sentido, diga-se de passagem) foi em vão:

O Bicho

Vi ontem um bicho
Na imundice do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa;
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem.

Era isso...
R$

19 de out de 2010

Só o amor faz o mundo andar

Eu sei que o tempo já passou, mas eu quero muito compartilhar um video postado pelo André - e que tem mais de 100000 views no youtube - com as pessoas que aqui me lêem:

 

Sério... a musiquinha vale muito a pena. Passei UMA SEMANA com essa música presa na minha cabeça, sem nenhuma vontade de ir embora =D (e foi embora pra dar lugar a uma droga de pagode que felizmente só ficou algumas horas me incomodando D=)

R$

15 de out de 2010

Poemas no blog [3]

Eu ía postar sobre outro assunto completamente diferente no blog, mas tenho um poema que pensei esses dias, enquanto no ônibus, e que queria muito compartilhar. É sobre a minha significativa indignação em relação aos poemas do ônibus, que são, sinceramente, um lixo (tá tá, eu falando dos poemas do ônibus, mas, enfim, sério, não aguento ler aquilo).

Noutro momento, daí, quando tiver mais tempo, posto sobre o tal outro assunto.

Haikai indignado

Se é pra ter poema
Sem musicalidade
Aqui está o meu
John Gamboa - 15/10/2010

Eu sei que esse também tá uma merda, mas pra mim tá competindo pau a pau com os que a gente vê nos ônibus todo dia ¬¬

Eras isso...

R$

5 de out de 2010

Poemas no blog [2]

Estava fazendo nada agora de tarde e comecei a olhar pela janela. Aos poucos fui montando um poeminha, que quero compartilhar aqui também. Pra mim ele ficou beeeeem ruinzinho, mas, enfim, como foi feito em questão de meia-hora, acho que ele merece algum pequeno reconhecimento.

Aí vai:

Da janela do meu quarto

Da janela do meu quarto,
vejo um monte de gente,
e o McDonnald's, ali em frente,
com seus muitos clientes,
gastando de seus salários,
pagando aos funcionários,
quantia alta, e cientes
de que estão estragando seus dentes O.o
... (to sem rima, povo exigente ¬¬)

Da janela do meu quarto,
vejo o Guaíba, azulado;
e, às vezes, escurecido,
em dia de tempo fechado.
Vejo os barcos, enegrecidos,
e os prédios, poluídos.

Da janela do meu quarto,
vejo os aviões, a pousar
e um escrito a declarar
"SIMONE EU TE AMO" O.o
Às vezes fico a pensar
se a Simone de quem falamos
ainda aqui está a morar

Da janela do meu quarto,
...
Percebo eu que tardo,
na janela do meu quarto...

John Gamboa - 05/10/2010

Espero que o povo leitor o tenha apreciado. Também, se não tiver gostado, não se preocupem, não estou me importando com a opinião dos outros (6).

Era isso...

R$

30 de set de 2010

Documentação

Estou agoniado...

Estava dando uma olhada na documentação do ZSNES e, sinceramente, o negócio tá triste. Não dá pra achar nada!!! D=

Por acaso, pra falar a verdade, encontrei: encontrei um link pra um "manual" feito pras versões 1.42 e 1.50 (ambas, já, obsoletas, apesar de úteis - alguns jogos, como Kirby Avalanche, não rodam na atual versão 1.51, no que a minha recomendação normalmente é usar uma versão mais antiga, como a 1.36, que considero a melhor nesse sentido; além disso, a versão 1.42 é a última versão em que a internet está "ativada", tendo essa funcionalidade sido retirada do emulador a partir da versão 1.50, em virtude dos vários bugs que ela tinha), o qual pode ser baixado nesse link. Mesmo assim, mesmo tendo achado alguma documentação sobre "como usar" o ZSNES, não consegui nem chegar perto de tentar começar a entender (conseguiram acompanhar a distância??!!) o código do ZSNES, em qualquer parte que eu tente começar a ler. São tantos arquivos, com tanta coisa, tanta informação, tantas referências de arquivo pra arquivo, tantas bibliotecas diferentes "includadas", que eu nem sei por onde começar. Mas... quem é que quer continuar com o projeto do ZSNES, que tá parado há um tempão (desde o fim de 2006)!?!? (tá tá, na verdade, eu nem olhei o código do ZSNES: eu só procurei pra ver se achava alguma coisa próxima do que o Juliano  - um colega meu - tinha me dito: quando falei sobre o manual do ZSNES que tinha achado, ele pensou que fosse um manual relativo a programação e tudo mais, e como o Fialho concordou com a possibilidade, resolvi procurar)

(Quanto ao não ter conseguido entender o código, eu realmente já tinha tentado uma vez, sem muito ânimo, e não deu em nada, no que rapidamente desisti: estava tentando entender o motivo de o ZSNES simplesmente não compilar para arquiteturas x64 D=)

Mas, pra falar a verdade, o que me agonia é o tamanho da falta de preocupação dos caras que escrevem programas em manter uma documentação decente, atualizada, e tal. Ano passado, passei semanas tentando resolver os vários problemas de compilação de um programa que estava tentando usar, chamado Quagga (na real, o programa, em si, funcionava bem, mas a extensão dele que eu estava tentando usar é que era bugada). Toda a vez que eu consertava algum problema (uma referência mal-feita, um include faltando, etc), aparecia um novo erro. Me incomodava que, quando eu ía olhar o código, não dava pra entender bulhufas: as variáveis tinham nomes mágicos como HWDIDUGTHERE (tá tá... só um exemplo) e os comentários só apareciam no início do arquivo, dizendo que o arquivo era de código aberto e que nenhuma garantia sobre o seu funcionamento era dada... ¬¬

Quando tu ía ler a documentação do programa (tinha um arquivinho bonitinho disso), tu via que, de uma versão pra outra, eles só mudavam o número da versão, sem realmente escrever se alguma coisa tiver mudado (lembro que o arquivo era o mesmo já há um tempão e que tinha versões em que ele nem tinha sido mudado para casar com a versão do programa D=)

Algo muito próximo me tem acontecido com uma biblioteca que, pelo que vi, até que é bem popular na internet para parsear midi. Tenho tentado usá-la, mas o negócio tá tr00. O nome dela é libjdkmidi, mas ela recentemente (beeem recentemente: dia 14 de setembro de 2010, duas semanas atrás, praticamente) mudou de nome pra jdksmidi. Até duas semanas atrás ela tinha uma página bonitinha, cheia de detalhezinhos sobre como testar (apesar de não muito úteis, já que os arquivos sobre os quais a página falava não existem mais no pacote O.o), que felizmente foi "mirroreada" por um outro site, o qual agora tenho usado pra dar uma olhada.

De qualquer forma, o que me acontece é que a biblioteca tem uma documentação DESGRAÇADA!!! Tão desgraçada que eu tive de baixar um programa que a usa (e foi meio sacrificoso instalar o programa, já que tava faltando um include no meio do tudo pra ele poder compilar sem reclamar) pra poder entender. Tão desgraçada que, basicamente, ela me mostra uma lista de todas as classes que compõem a biblioteca (que foi escrita em C++) de várias formas diferentes: primeiro na ordem dos arquivos, depois em diagrama de classes (que bom, em?? Agora eu conheço a hierarquia das classes da biblioteca, em!?!?), e por último em ordem alfabética. Como referência, é 10. Como tutorial, é 0.

Assim, sou obrigado a ficar lendo o maravilhoso código desse cara pra entender como usar esse lixo ¬¬

Não acho isso certo, e certamente, se eu tivesse feito, teria feito no mínimo diferente. Maaasss... como é o que tem... e como os programadores não parecem muito a fim de mudar (vide código dos kernels do linux), e como eu creio ser somente um no meio de milhões gostando desse modo de fazer as coisas, então, acho que terei de me acostumar D=

(será que alguém vai concordar comigo?!?!)

Eras isso...

R$

27 de set de 2010

Poemas no blog

Tempos atrás, escrevi um poema. Estava ruim da amigdalite - no tempo em que ainda tinha amígdalas - e, não tendo podido sair pra casa de minha tia - pra onde todos foram menos eu -, e tendo ficado em casa, sem nada o que fazer, comecei a matutar um poema, do qual no fim das contas gostei.

A verdade é que de tempos em tempos tenho vontade de escrever um poema aqui ou outro ali. Me inspiro nos joguinhos, nas músicas, nas coisas que estudo, e em tudo mais o que vivo todos os dias. Também é verdade que a maior parte deles simplesmente são esquecidos e ficam perdidos dentro da minha cabeça, que não é capaz de mantê-los por muito tempo. Frequentemente, também, acontece de eu estar num lugar onde não posso escrevê-los. Surgem durante uma fila do RU, no banheiro, ou enquanto andando de ônibus.

Também é verdade que guardei o poema que escrevi dentro de um livro durante quase 10 meses (tendo procurado na internet, descobri que o edital sempre saía em agosto) para descobrir que não podia mandá-lo para o concurso de Poemas no Ônibus, já que ele era grande demais... D=

Enfim... não podendo concorrer com ele, e nem tendo como publicá-lo em um lugar melhor, decidi, então, publicá-lo aqui, no meu blog, já que é o grande lugar que tenho para me expressar (e torcer para ser lido). Espero que os meus leitores gostem, já que, sinceramente, eu acho que ficou bem legal. Em especial, gostaria de pedir que os leitores da informática não me incomodassem com o seu final, afinal, convenhamos, se eu não tivesse posto a palavrinha que eu pus, não teríamos a rima, e eu não ficaria feliz =D.

Sem mais delongas, eis o poema:

Recursão

Você sabe o que é recursão?
Não?
Esquece, então.
...
Então tá. Vou lhe explicar.
Um exemplo vou lhe mostrar.

Imagine um poema de um leitor
que, assim como você, meu senhor,
um poema dos que em ônibus vemos
lesse atenciosamente, retido.
Olha! Dessa história toda temos
um nível de recursão descido.
Um nível a mais teria se ido
se, no poema do nosso leitor,
contasse a história de um outro senhor
que um outro desses nossos poemas,
por acaso também tivesse lido.

Tomara que tenha entendido;
se não, não tem problema:
quem gosta dessas teorias
(na minha opinião, eu diria)
é somente doido varrido
da matemática ou engenharia

John Gamboa - 13/11/09

E aí!!?? Gostaram?? Tomara que sim. Tentarei ter mais poemas escritos para publicar aqui, quando achar que convém.

Era isso =D

R$

26 de set de 2010

Políticos porcalhões

Ía postar sobre uma coisa diferente, já que há dias estou querendo postar aqui e não podia fazê-lo por me encontrar longe da folha que era o grande assunto que pretendia tratar (fica pra o próximo post). Mas, tendo encontrado no blog do Fialho um post sobre política, cliquei em alguns dos links que lá estavam.

Achei o máximo o blog que ele linkou no seu post, mas achei mais o máximo ainda esse blog aqui: http://www.politicoporcalhao.com.br/site (o mais legal é que eles se prestaram a comprar um domínio próprio com esse nome pra postar essas bobagens)

Nesse blog, encontrei um link interessante, em que promovem um abaixo-assinado contra as placas de candidatos em época de eleições. Eu não sei se é real, apesar de, sinceramente, tê-lo achado real - e de ter contribuído com a minha assinatura -, mas sugiro que o leitor se preste a ao menos dar uma olhada. De acordo com eles (e com alguns sites outros, pelo visto "parceiros" do do link do Fialho), se conseguirem um milhão de assinaturas, eles conseguem levar essa questão ao congresso (ou seja lá como for que o legistalativo funcione O.o). (nessas horas é que seria bom se tivesse um advogado por aqui pra ajudar com essas coisas)

Fico pensando: se alguma coisa não for feita nem nessa nem na próxima eleição (para prefeitos e vereadores), a Copa do Mundo de 2014 muito possivelmente tenha de conviver com a sujeira de políticos porcalhões pelas avenidas congestionadas (e com engarrafamentos provocados por placas no meio das ruas ¬¬) durante o seu pequeno mês de duração, dando uma imagem significativamente ruim para as cidades brasileiras, nesse sentido D= (se bem que esses políticos são tão desgraçados que é capaz de não porem

Enfim... eras isso...

R$

29 de ago de 2010

Perfumes

Estamos no fim de agosto................

Semana passada, na segunda-feira, estava eu passando junto a meus irmãos pelo caminho que eles fazem até a parada onde pegam ônibus e senti um cheiro maravilhoso. Na hora, soube o que era, disse, e fiquei perguntando se eles não sabiam onde havia a planta causa daquele maravilhoso perfume.

Ao passar por ali denovo na volta, senti o mesmo cheiro. Falei, e eles apontaram pra uma árvore qualquer, como que folgando da minha cara. Admito... o perfume da flor da laranjeira me deixa louco.

Na verdade, acho que sempre fui meio sem noção com relação a alguns "odores" (nem sempre, pra os outros, o cheiro é tão bom assim). Quando eu era criança, adorava pegar aquelas borrachas verdes, da marca Mercur, e passar minutos pondo-as no meu nariz, pra sentir o cheiro forte que elas, quando novas, largavam. Também adorava o cheiro das piscinas. Lembram daquelas piscinas de 1000 litros, que as mães adoram ter pra encher e ficar sentadas, relaxando, quando tá muito quente?!?! Eu adorava o cheiro delas. Aliás... o leitor também, não!?!? Aquele cheiro de plástico que parece que se renova a cada ano, quando ela fica guardada até que chegue o verão (ao menos aqui no sul, onde não é quente o ano todo =D).

Outra coisa de cujo cheiro eu gostava muito era o das cartas novas de magic. Tinha gente que dizia que o cheiro era tri ruim. Fala sério!!! O cheiro era maravilhoso. Passava tempos (não quis dizer horas porque não é verdade u.u) com aquelas cartas no nariz, cheirando-as. Mas é claro que as pessoas não sabiam disso: se não, possivelmente, eu nunca teria conseguido trocar carta alguma =D

Por último, lembro que gostava também dos cheiros dos chaveiros de plástico (aqueles que tinham um gel dentro, sabe?!?!) e dos folders feito de um "papel plasticozado" (é quase o mesmo cheiro, sei lá), que eram tão maravilhosos quanto o das piscinas de 1000 litros. Aliás... se todos reclamam que não fazem mais piscinas de 1000 litros fortes quanto antigamente, ficarei triste quando souber que não fazem mais com o seu antigo cheiro ^^

Quando estava chegando aqui em Guaíba ontem, desci numa rua chamada "São Paulo", onde é mais perto de casa. Enquanto vinha subindo em direção à minha casa, senti o mesmo maravilhoso perfume do início do post. Na hora soube o que procurava e, ao olhar para o lado, encontrei uma enorme laranjeira, perfeita, toda florida, branquinha. Infelizmente, apesar de ter uma bela laranjeira aqui no pátio de casa, ela não estava nada florida. Pelo contrário: seus botões pareciam bem longe de começar a exalar seu perfume para o ar. De qualquer forma, não estou triste: estou certo de que logo elas vão florescer. E melhor: como também sou louco pelas azaléias que estão para florescer no início da próxima estação, parece que satisfarei os olhos e as narinas tudo ao mesmo tempo. Mas a azaléia é coisa para outro post =D

Eras isso........

R$

20 de ago de 2010

Treinamento de ouvido absoluto

Esses dias, fui jantar no RU do centro relativamente cedo, crente de que, por ser cedo, não encontraria ninguém pra almoçar comigo. Estava errado: tendo sentado perto dos bufetes (sim, essa palavra tem tradução pro português, tal como xampu e outras atrocidades da língua portuguesa), logo me apareceu o Daniel, um amigo da engenharia de produção.

Ele é o tipo de pessoa carismática que conhece MUITA gente. Por causa disso, logo apareceu alguém que ele conhecia - e eu não - pra sentar junto e conversar com ele (eu não tinha muito o que conversar até que o cara aparecesse, então, de certa forma, admito que dei graças a Deus).

Por acaso, a pessoa começou a falar de música. Gosto do assunto, mas o Daniel é tri sabidão do assunto e preferi ficar só ouvindo o que íam conversar. De repente, o amigo do Daniel (seu nome é Natanael - o que, praticamente, evidencia a sua crença, ou, ao menos, a de sua família ^o) ) disse algo sobre que me interessei significativamente: um "treinamento de ouvido absoluto". Disse ele que encontrou um site onde havia um modo de exercitar o ouvido de forma a torná-lo absoluto. Desconfiei - e, sinceramente, seriamente, não vejo muito motivo pra se preocupar em "ter ouvido absoluto", já que a idéia de "ouvido relativo" pra mim, aĺém de fazer MUITO mais sentido, me parece muito mais útil (uma hora explico meus motivos: sei que, num primeiro momento, todos prefeririam o absoluto) -, mas, como ele passou o endereço do site para o Daniel, guardei "na mente" o nome também.

Sinceramente, creio que o pessoal do marketing do site tem muito a aprender: não consigo enxergar a relação entre o site e o seu nome, mas, quem sou eu pra julgar?!?! De qualquer forma, digo-o de uma vez: PROLOBE O.o.

A essa altura, o leitor provavelmente já deve estar se perguntando: por que essa maldita imagem psicodélica aqui ao lado?!?! O motivo é que o site fala sobre uns tais de Pitch Chromas (cores das notas, em tradução livre). A ideia é mais ou menos a seguinte: "se conseguimos distinguir perfeitamente as cores com os olhos, por que não, da mesma forma, distinguir as notas com os ouvidos?!?!". Pensei no assunto e, tendo imaginado qual seria o resultado ao tentar distinguir uma música cheia de notas tocadas em harmonia e o "diabo a quatro" (roubei essa expressão da Ana Paula =D), lembrei da imagem (ela foi papel de parede do computador lá de casa durante um bom tempo). Creio que, se fôssemos tentar distinguir a música com os olhos, ela seria algo bem parecido O.o.

Bom... enfim... eu não sei se vai dar certo o tal do "treinamento", mas acho que não custa nada tentar. De qualquer forma, acho que não vai ser tão cedo: tenho planos e acho que ter o ouvido absoluto ainda não é algo tão importante pra manutenção da minha sanidade intelectual no momento.

Mesmo assim, "fikdik" =D

Eras isso...

R$

19 de ago de 2010

Final Fantasy with Lyrics

Como o leitor sabe, frequentemente eu fico com uma música na cabeça. Às vezes, a música fica só um tempinho e logo vai embora. Noutras, a música fica bastante tempo, como um bom número de horas ou até mesmo dias.

Há dois dias eu ouvi a música presente nesse video. É um vídeo do brentalfloss, um cara que frequentemente pega músicas muito legais de joguinhos que fizeram parte da sua (e, em muitos casos, da minha - apesar de, acho, ele ter uma idade bem superior à minha) infância e escreve uma letra, a qual ele ajunta com a música e cria "clássicos" (digo assim porque, apesar de eu não ter jogado o jogo, acabei vivendo momentos muito bons graças a essa música e um jogo chamado IWBTG) como o Dr. Wily Stage 1 do Megaman 2 ou a música de Abertura do Megaman 3 (tá... admito que também só conheço a trilha sonora do Megaman 3, e não o jogo em si, mas pretendo virá-lo assim que tiver concluído meus "outros planos" de vida =D).

De qualquer forma, a parte importante desse post é a música do tema do Final Fantasy. É muito boa!!! MUITO!!! Tanto que está na minha cabeça há dois dias e eu já a ouvi umas 30 ou 40 vezes (sem exageros). Estou a ouvindo agora, enquanto escrevo nesse blog \o/.

Gostaria de comentar algumas coisas que me chamam a atenção na música que acho que devem ser ressaltadas:

1 - Vocês já prestaram atenção na bela bateria que aparece bem no iniciozinho da música, lá pelos 6 e depois pelos 8 segundos de música?!?! Tenho a impressão de que, se não fosse por essa bateria, não gostaria tanto desse início =D

2 - Vocês viram o baixo do piano que entra quando ele canta "Come, let fly..."?!!? Eu passei o dia cantando esse baixo (enquanto estava na faculdade e não podia ouvir a música) pra chegar aqui e descobrir que ele realmente estava no lugar onde eu achei que ele estava.

3 - A "firula" de que eu definitivamente mais gosto nessa música é o que faz a guitarra, primeiro aos 1min14 e depois aos 1min30 (principalmente nesse último momento). Quando me ligo que acabei de ouvir essa parte da música sem prestar muita atenção, frequentemente volto e ouço denovo cuidando os detalhezinhos dessa guitarrinha sacana.

4 - Eu não poderia deixar de comentar sobre o finzinho, quando ele canta "We'll save humankind like we allways wanted when we were little ...". A barulheira dos outros instrumentos dá lugar a um piano calminho e um som que não consegui identificar mas que suporei que seja algum efeito da bateria =D. Adoro essa parte, não só pelo instrumental, mas principalmente pela letra.

Enfim... enfim... não tinha muito o que escrever e, since esse blog é meu, resolvi escrever sobre o que mais estava me influenciando nesses últimos dias: essa música. Espero que tenham gostado =D

AAA... e... caso tenham gostado da música, esse link leva pra um lugar onde poderão comprar o CD "What if this CD had lyrics", do mesmo autor. Acho que vale tanto a pena que to até a fim de comprar \o/.

É isso...

R$

11 de ago de 2010

Spoils

Estou lendo os Cavalheiros do Zodíaco.



Há anos que tenho a série completa: meu vizinho, com o intuito de se livrar dos seus mangás (ele tinha "crescido" e não queria mais os mangás, apesar de ainda cultivar um amor por eles), vendeu a série completa do Dragon Ball por míseros R$80 e junto com eles nos deu os Cavalheiros do Zodíaco totalmente de grátis. Lembro que ele tinha muitos outros também. Se não me engano, tinha Ranma 1/2, Dr. Slump (acho que é esse o nome da série - desculpem a minha n00bisse D=) e, inclusive (sério, esse em especial eu queria ter comprado também), CardCaptor Sakura (que eu, como veio pra o Brasil, prefiro chamar de "Sakura CardCaptor"). Lembro que o único que ele disse que ía manter era o Samurai X.

Além dos mangás, ele também tinha a Ilíada, a Odisséia, o Senhor dos Anéis e uma versão em quadrinhos do Hobbit - que ele tinha comprado só pra conhecer a história anterior ao Senhor dos anéis de forma rápida, sem compromisso.

De qualquer forma, voltando ao CDZ, estou lendo. Nunca pensei que o mangá fosse tão emocionante. Tendo sido influenciado pela opinião de outrem, que diziam que o mangá não era a mesma coisa que o anime, nem dava muita importância, já que até a armadura dos chars era diferente. Agora, lendo o mangá efetivamente - sem a influência dos outros -, minha opinião é totalmente diferente. O mangá corre MUITO mais que o anime, e os cavalheiros simplesmente não param nunca, sempre lutando para defender Atena, que vive "se metendo nas mais incríveis confusões". Além disso, em todo o momento acontecem revelações bombásticas, como o fato (tá tá, todo mundo sabia, mas dá pra ver que quem não sabia acabaria ficando bem assustado) de o Mu de Jamire ser o Cavalheiro de Aries e o fato de que (outra coisa que todo mundo já sabia, mas, err, enfim, se eu não conhecesse, ficaria bem entusiasmado) Marin é a irmã do Seiya.

Mas tem uma coisa que me deixou totalmente desconformado com o mundo: todos os cavalheiros de bronze que participaram do torneio intergaláctico são irmãos, filhos do avô (de criação, é claro, porque ela nasceu em frente à estátua da Atena, no Santuário, pelo que deu pra entender) da Saori Kido, Mitsumasa Kido. O cara tinha 100 filhos - com as mais diversas mulheres - órfãos (o que me dá a impressão de que ele também tinha filhos não órfãos que não foram para o treinamento) e mandou todos pra muito provavelmente morrer (só 10 conseguiram voltar) em um treinamento pra uma armadura de bronze O.o

Coisas estranhas a parte, mangá tá sendo perfeito. Infelizmente, tem algumas sérias inconsistências com o desenho que assim que eu terminar o mangá pretendo verificar (quero ver se vejo o desenho pra comparar), mas, de qualquer forma, até agora, tudo o que me diziam sobre "aaa... tem um monte de inconsistências no CDZ porque o escritor frequentemente viajava e aí outros escreviam no lugar dele" não parece se aplicar: a única coisa extremamente estranha do mangá (e, acho, do desenho) pra mim é que, se a Marin é irmã do Seiya e o treinou, quem a treinou tão rápido (da partida do Seiya do Japão até a chegada dele no Santuário)?!?! Sério dilema O.o (mas até agora ainda não foi confirmado que ela realmente é quem dizem ser)



É isso... queria ter postado mais coisas até agora, mas, como sempre, esqueço. Espero que o leitor não deixe de vir aqui por isso u.u

R$

28 de jul de 2010

The internet is for...

Ao ler o título desse post, qual é a primeira coisa em que você, caro leitor, pensa!?!?

Achei, na página inicial do youtube, um link para o seguinte video:



Eu gostei do textinho, que é bonitinho e meio que tenta demonstrar um pouco do valor que a internet adquiriu pra nós pessoas ao longo de sua existência até hoje, mas, sinceramente, dar o Nobel da paz pra internet já não é um pouco de exagero??!! O.o

De qualquer forma, assim que vi o título do canal que pôs o video no ar ("internetforpeace"), me veio uma musiquinha na cabeça, a qual compartilho com vocês:



(aos mais puristas, desculpa se soar meio pervertido, mas, sério, convenhamos, a musiquinha é tri legal \o/)

É isso...

R$

23 de jul de 2010

Meu blog's curse

Tenho um problema com meu blog: esqueço de postar. É impressionante, mas isso acontece sempre. SEMPRE!!!

Freqüentemente (sim, com trema, porque ainda vivo como se a reforma ortográfica não tivesse ocorrido) coisas acontecem comigo que me lembram de postar no blog. Normalmente são coisas interessantes (ou, ao menos, que eu julgo interessante), que tenho grande vontade de compartilhar com as pessoas que conheço e, especialmente e especificamente, com as pessoas que lêem (sim, com acento circunflexo) esse blog. Infelizmente, nessas ocasiões........ ou, ao menos, em 99,5% dessas ocasiões, não tenho nenhuma ferramenta que me permita escrever no blog sobre o assunto naquele momento (ou ao menos me lembrar de escrever nele). Às vezes, depois do momento, me lembro denovo dos ocorridos em momentos também "indesejáveis", como em viagens de ônibus, tomando banho, comendo no RU, na igreja, etc. Parece que meu cérebro só se volta pra essas coisas quando eu simplesmente não posso escrever. Maldito!!!

Isso aconteceu umas 10 vezes durante esse mês, mês esse em que me ocorreram MUITAS coisas legais dignas de serem lembradas nesse blog. Aliás... esse blog, pra mim, me parece, além de um lugar onde escrevo pra os pouquíssimos "selecionados" leitores, um lugar onde muito escrevo pra mim, já que, se em algum momento, depois de publicada alguma coisa aqui, eu quiser achá-la, já saberei o primeiro lugar a procurar.

Poderia ter divagado sobre como a 5ª sinfonia de Beethoven é bonita, e sobre como ele remontou o seu belíssimo tema - como diz a wikipedia - "short-short-short-long" em cada um dos seus quatro movimentos. Poderia ter falado sobre uma música chamada Yardbird Suit, de "um tal de" (me perdoem aqueles que o conhecem e que dele gostam; eu só o conheço como "o cara da Yardbird Suit") Charlie Parker, que esteve na minha cabeça durante alguns dias atrás. Poderia inclusive ter falado - na verdade, eu deveria falar, já que me ocorreu hoje, mas, sinceramente, não estou com o menor saco pra isso ^^ - sobre o FISL, grande evento que está ocorrendo nesses dias aqui em PoA, justamente praticamente NOS MESMOS DIAS em que ocorre o CSBC (pra quem não sabe do que se trata: Congresso da Sociedade Brasileira de Computação) em Belo Horizonte (grande mancada da organização, em!?!?). Poderia inclusive comentar sobre o fato de haver pessoas que erroneamente por algum motivo me tratam como se eu fosse doente (ainda falarei sobre isso, explicando melhor a situação =D) ou tivesse algum problema mental (HAHAHAHAHAH... tá... uma hora eu explico). Mas por algum motivo, simplesmente esqueço (éé... vai ver eu tenho problemas mesmo ^o) ).

Well... mas o importante mesmo, aqui, não é falar sobre nada de especial. O importante de tudo é que, apesar de ter passado 22 dias longe dessa telinha feia bagarái (sim, com acento, porque neologismo leva acento como qualquer palavra normal) de escrever nova postagem do blogger, eu vou tentar (sério, vou tentar mesmo) passar a levar mais "a sério" (HAHAHAHHA... como se eu fosse levar de verdade) esse blog e escrever mais vezes sobre coisas legais e divertidas nele.


Afinal, como disse um cara numa palestra ontem no FISL - aliás, ele não disse nada de mais, mas... -, o problema das pessoas antes era conseguir falar; o problema das pessoas hoje é conseguir ser ouvido (ou qualquer coisa do gênero).

É isso...

R$

3 de jul de 2010

Muito feliz \o/ \o/

Eu cria ter perdido um monte de coisas por causa de uma formatação que fiz no meu computador acidentalmente um tempo atrás. Estava triste com isso, mas, aaaa, dane-se: ninguém morre porque perdeu coisas que tinha no computador.

De qualquer forma, estava incomodado porque queria fazer uma coisa com uma música - The Decisive Battle, do Final Fantasy 6 - e teria de reescrevê-la inteira, ouvindo e reouvindo durante mais de hora pra ter a partitura inteira posta no meu computador denovo.

Ontem, quando eu estava vindo de ônibus pra Guaíba, lembrei de uma coisa que me pareceu ilógica: por que é que eu teria perdido essa música com a formatação se quando eu escrevi essa música eu ainda estava com meu antigo computador?!?! Cheguei em casa, liguei o outro computador, abri a pasta "Meus Documentos/Música" e o que eu vejo: TUDO!!!

Além disso, os episódios do Supernatural que eu tinha baixado, o video do Moskau, as fotos de Criciúma e (mais importante, porque eu ainda não assisti e ía ficar muito sem cara de pedir pra o André me conseguir denovo) o Suzumiya Haruhi no Yuuutsu estavam lá \o/ (sem falar do Tempo de  Melodia =D)

Estou muito satisfeito: terei muitas coisas pra assistir nas férias... \o/ \o/

É isso...


R$

30 de jun de 2010

Video no Youtube

Criei meu primeiro video.


Meu irmão estava tentando fazer a webcam dele funcionar, quando resolvi que talvez a minha webcam fosse até que meio boa - ao menos o suficiente pra eu poder usar pra fazer alguma coisa com o Youtube. Já tinha pensado nisso antes, mas como a câmera é embutida no computador e bem porca, descartava imediatamente a idéia. Sorte a minha: testei e ficou legal. Gostei, até, apesar de a imagem não ser lá às mil maravilhas - e nem o audio.

Estou feliz porque ao menos agora eu poderei fazer algumas edições divertidas nas férias. Tenho tido idéias desde que comecei a freneticamente assistir a videos no youtube, sexta-feira retrasada, mas ainda não tinha tido como pô-las em prática. Aliás, ainda não tenho: tenho prova amanhã e nem deveria estar fazendo isso agora, mas deveria estar terminando o meu trabalho de TCP. De qualquer forma, danem-se a prova e o trabalho: o importante é que eu fiz meu primeiro video no youtube \o/

É sabido que esse video foi uma porcaria (e ele tem 11 segundos =D), mas o importante é que ele abre portas pra muita brincadeira nos próximos dias.

Infelizmente, o programinha que eu to usando aqui pra gravar é no windows. Isso talvez - talvez, já que eu não testei ainda nenhum dos programas cujo link o Fialho me passou - implique eu seja obrigado, inicialmente, ao menos, a "capturar" os videos no windows e depois ter de passar pra o Linux pra editar. Mas ainda não faço idéia de como será o processo.

De qualquer forma, tenho duas idéias bem legais pra videos no youtube e eu espero que sejam ao menos apreciadas pelas pessoas que lêem esse humilde blog. AAAA... aliás, falando nisso, passei a stalkear esse blog com o google analytics e descobri que do dia 21 pra cá, 25 pessoas acessaram o meu blog, numa incrível média de 2,5 pessoas por dia \o/ \o/ \o/

Tá certo, é uma média bem humilde, mas, enfim, é bem mais do que eu imaginava =D \o/

Bom... enfim... era isso. Cliquem aqui se quiserem ver o meu video e não esqueçam de thumbs up ele =D (se bem que ele vai ser deletado, igual, então, nem se preocupem tanto com isso.

Obrigado...

R$

24 de jun de 2010

Mortal Kombat

Esses dias eu estava na aula de Categorias (pra quem não é meu colega, uma das melhores aulas, na minha opinião, que eu estou tendo esse semestre, apesar de a matéria ser um pouco cansativa e a sua utilidade um pouco difícil de encontrar) e um colega - o Lersch \o/ (oi Lersch =D) - me falou sobre o novo Mortal Kombat, no que rapidamente rebati: "aaa... depois do 4, o Mortal Kombat ficou muito ruim. Mortal bom é até o Trilogy, só".

Um outro colega, o Fialho - cujos blogs estão nos links de blogs "relacionados" -, concordou comigo e então logo o assunto terminou D=.

Agora há pouco, estando eu na frente do computador e com o msn aberto, recebi do Junior - que se encontra a menos de 3 metros de onde estou (ele está no outro computador aqui ao lado) - um link pra um video do youtube. O video é o seguinte:



MUITO BOM!!! Gostei bastante da cara parecida com luta 2D de antigamente, ou, como disse a descrição de um outro video em menor qualidade que encontrei antes de achar esse: "Mortal Kombat is returning to its 2D roots [...]" (pra quem não entendeu em inglês: "Mortal Kombat está voltando às suas raízes 2D" =D).

Fiquei encantado =D \o/

AAA... assistam a esse gameplay também:



Muito tri o fatality do Kung Lao ali no fim do video =D.

Mas... o que mais me intrigou - e me deixou feliz \o/ - é que, pelo que entendi, os personagens com que se poderá jogar serão exatamente somente os 26 personagens que aparecem nos Mortal Kombat até o MK Trilogy, ou seja, somente os mais legais \o/. Parece que enfim eles perceberam que, como eu disse, Mortal Kombat foi bom só até o Trilogy (isso que nem o Trilogy eu aprovo muito, com o seu "Come over here" do Scorpion ¬¬).

Tomara que saia logo. Apesar de eu saber que demorarei pra jogar (devo ficar com o meu humilde - mas nem tanto, já que tem gente que nem isso tem - Play2 durante um bom tempo), fiquei muito feliz em saber da novidade.

AAA... e... os videos são do E3, vocês viram!?!? =D

É isso...

R$

21 de jun de 2010

The Flight of the Bumble Boogie =D

Por causa dos videos do cara (o Mystery Guitar Man) do post anterior - no fim das contas, acabei assistindo a todos os videos dele (e, sério, com isso, treinei um monte o meu inglês) -, fiquei com a música "O vôo do besouro" (em inglês freqüentemente encontrada como "The Flight of the Bumble Bee") na cabeça.

Com isso, procurei na internet por alguns vídeos, no que me lembrei do seguinte video:



O André uma vez tinha me passado o filme inteiro (Tempo de Melodia) \o/

Encontrei vários videos de os caras tocando no piano essa música. Mas muitos eram um lixo (tá, tá, eu sei, eu não toco piano, mas, pelamorde Deus: ao menos eu não gravo videos meus fazendo isso =D) e o melhor que eu encontrei foi o seguinte:



Mesmo assim, ainda preferi o primeiro - o original, do próprio desenho -, por um motivo que explicarei a seguir. Ouçam lá pelos 2min46 pra um pouquinho pra frente: vai dizer que aquelas três notam não lembram a música da primeira fase do Toy Story?!?! Elas bem que poderiam compôr uma harmonia perfeita (mas não duradoura D=) com a melodia da música Toy Story \o/

Pra vocês:



Vai dizer?!?!

(Tomara que alguém leia isso e comente =D)

R$

19 de jun de 2010

Mystery Guitar Man

Estava estudando alemão - e fazendo o tema pra aula de amanhã, quando me lembrei que o plugin do firefox do flash aqui no Ubuntu tá com sérios problemas e resolvi arrumar. Já tinha um plano de ação pra resolver o problema, então, simplesmente fiz o que pensava e resolvi testar. Para isso, fui ao Youtube e abri um video qualquer daqueles que estava na "capa". Nunca tinha ouvido falar, mas me arrependo de cada minuto até então de não tê-lo conhecido antes:

Estou falando de "um tal" (o canal dele já passou de 10 milhões de exibições) de Mystery Guitar Man.

O cara é genial!!!

Olhem isso:



E isso:



Ou então isso:




A essa altura vocês já devem ter ouvido uma, duas ou três frases em português. Que viagem, né?!?!

Eu não tenho a menor idéia de de onde ele seja, ou o que ele faça, mas estou certo de que ele ganhou mais um seguidor fiel. O cara é muito bom!!!

AAA... fuçando melhor nos videos dele, encontrei esses dois:





Muito tempo atrás, quando eu mandei um video do Vôo do Besouro pra o André (oi André \o/), ele me veio com esses dois videos, que na época achei muito bons. Na época nem dei bola pra quem é que faria os videos. Agora me arrependo profundamente D= D=

Pena que esse blog é pequenininho e que tem pouca gente que lê ele. Seria bem melhor se mais gente visse e desse opinião D=

Bom... era isso \o/

R$

(aaa... e esse é pra o Cristiano e pra o Fialho):

13 de jun de 2010

Kingdom Hearts

Essa semana foi produtiva. Apesar de eu ter tido dois trabalhos pra entregar e uma prova em que, creio, nem fui tão bem quanto pretendia, tenho de admitir que a semana rendeu. O trabalho de TCP - o que mais estava me preocupando - teve uma apresentação tranqüila onde tive a impressão de a professora, apesar de ter percebido que ainda não tínhamos um programa muito completo, ter gostado do estado em que as coisas se encontram. De qualquer forma, essa não é a parte mais importante. Explico...

Há uns dois meses comecei a jogar um jogo que tenho considerado uma das melhores escolhas que fiz nos últimos tempos. O Junior, com quem moro, tinha baixado Kingdom Hearts II e gravado em um DVD o qual, por algum motivo maligno, simplesmente não era lido pelo meu Play2. Conversei com meus colegas nerds (espero que não entendam isso como um xingamento O.o) sobre o tema e, depois de algumas suposições de que o meu leitor tava estragando (pra não dizer já estragado), eles me sugeriram que comprasse uma mídia Philips pra testar. Comprei um DVD+R Philips que simplesmente não funcionou. Fiquei estressado e amedrontado - fala sério, paguei caro pelo Play pra ele resolver dar pau assim, do nada, enquanto o do meu irmão mais novo tem anos e nada de problema -, mas resolvi que tentaria com um DVD-R (é que o meu colega nerd tinha me falado em usar DVD+R, porque, na opinião dele, seria melhor. Não consegui D=), o que simplesmente resolveu o problema.

Não vou me preocupar com se outros DVDs vão ou não vão funcionar: o que importa é que ao menos com os DVD-R da Philips, por enquanto, não tive problema nenhum \o/.

Voltando ao assunto, peguei o Kingdom Hearts II com o Junior, gravei, comecei a jogar, e não consegui parar: joguei 5h direto, sem parar, tendo achado a história simplesmente maravilhosaa - e extremamente complexa. Com isso, resolvi que era necessidade imediata baixar e jogar o primeiro jogo da série antes de poder ir para esse, se não nada se esclareceria. Na mesma madrugada eu deixei baixando o jogo por torrent e na manhã seguinte o gravei num outro DVD-R que tinha comprado (comprei 3, o outro ainda devo usar pra gravar o Guitar Hero 3 pro irmão da minha cunhada, coisa que ele me pediu faz uma era D=) junto com aquele primeiro.

Comecei a jogar em um tempo bom da faculdade: ainda não estava tendo muitos trabalhos. A primeira semana foi ótima. Concluí bastante tempo de jogo em poucos dias. Mas quando completei 20 horas de jogo, a coisa ficou complicada. Estava atolado e não conseguia progredir. Muitas provas, trabalhos, datas, timelines (na real, só provas e trabalhos. Mas a verdade é que escrever essas duas últimas palavras ali, creio, deu um ar mais aturdido pra coisa). Felizmente, a última prova mais urgente ocorreu na última quinta-feira, dia anterior ao início da copa. Com isso, pude jogar bastante na terça-feira (sim, em vez de estudar pra prova e/ou tentar entregar trabalho, não resisti e, depois de duas semanas de jejum, tive de dar uma jogadinha), na quinta e na sexta. Completei quase 10 horas de jogo nesses últimos dias \o/

Enfim... eu sei que ainda estou bem longe do fim do jogo, mas não consigo nem ao menos disfarçar a alegria que me traz pensar em Kingdom Hearts. Estou crente de que vai ser um daqueles jogos que eu vou acompanhar até não ter mais o que fazer. Possivelmente enfim eu tenha encontrado um jogo a que valha a pena acompanhar. Juro que já tinha tentado com outros: tentei WarCraft - sério, o jogo é muito tri, mas jogar os antigos pra conhecer a história é severamente deprimente D= -, tentei Guitar Hero - esse ficou ruim depois que cortaram o controle dos devices utilizáveis pra jogar D= -, ou mesmo Final Fantasy - tem tanto jogo que eu teria de me ater a somente alguns poucos pra poder conseguir acompanhar alguma coisa D=. Cheguei a pensar em jogar os "The Elders Scrolls", mas eu acho o sistema do Morrowind e do Oblivion, apesar de muito legal, extremamente cansativo e, depois de poucas horas, já me sinto cansado de tudo aquilo.

Enfim, Kingdom Hearts até agora não me decepcionou nem um pouco. Ouvi de um amigo - que me spoilou afuuuu um monte de coisas da série - que jogou os três "mais mais" da série (o 1, o Chain of Memories e o 2) que o 1 é o melhor e que depois só decai, tendo sito o Chain of Memories o pior disparado, mas ainda prefiro pagar pra ver. Tive a impressão de que os estilos de jogos dos quais ele gosta são bem próximos dos meus, mas ainda prefiro ter a experiência de ter jogado os jogos. Se eu não gostar, ao menos vejo os videos no youtube: essa lista de reprodução tem a história inteira =D. Se o caro leitor sabe que não vai querer jogar o jogo, ao menos pode assistir pra ver o que que é que acha.

Novamente, enfim, estou ansioso. Não vejo a hora de terminarem as aulas. Ao menos, além de terminar o KH, quero jogar um outro jogo da franquia, pra poder no mínimo dizer que terminei um outro jogo da série durante as férias. Também quero jogar uns Megaman de NES: muito provavelmente o 2 e o 3, que são aqueles que todo mundo sempre me indicou - e no 3 tem a música do Protoman \o/ \o/ =D

Bom... eras isso...

Comenta alguém aí, pra eu não achar que sou o único que lê o que escrevo D=

R$

28 de mai de 2010

PostgreSQL + pgAdminIII no linux

Se você não me conhece:

Se você quer saber como criar um banco de dados e usar o pgAdminIII para brincar com ele, clique nesse link. O resto do post é só um comentário sobre o que houve comigo quando precisei fazê-lo =D

(escrevo isso porque sei que possivelmente alguém vá cair aqui tentando resolver algum problema com ambos os programas e vai querer me mandar a algum lugar feio por descobrir que isso é somente um post sobre o que me aconteceu quando fui usar esses programas)

Se você me conhece:

Diferentemente do que pareceu ser lá na UFRGS, quando eu fui tentar instalar o PostgreSQL no meu windows, só tive problemas. Descobri que, por algum motivo, o "Microsoft C++ Redistributable" (seja lá pra que exatamente ele sirva) estava com sérios problemas, e tudo o que necessitasse dele pra executar dava um erro bizarro, do qual, tendo procurado-o na internet, pouco ainda sei.

Depois de uma hora e meia descobrindo, procurando na internet e tentando resolver o problema, concluí que isso não era coisa pra hoje, já que tenho que estudar pra prova de Fundamentos de Bancos de Dados de uma vez. Vim pra o Linux, no que me encontrei em mais um problema: por algum motivo, diferentemente do que um colega meu tinha dito, o pgAdminIII simplesmente não estava conseguindo encontrar o tal banco default que o Postgres cria direto quando é instalado (ao menos, pelo que tinha entendido, ele só tinha adicionado o banco e tudo tinha se resolvido magicamente D=). Assim, tive de procurar na internet como criar um banco novo a mão.

Foi um tanto frustrante num primeiro momento, já que eu não agüentava mais simplesmente não estudar - é uma droga quando tu tem tempos pré-definidos pras coisas e não consegue fazê-las acontecer dentro desse tempo -, mas, depois de um tempo lendo a maravilhosa documentação do Postgres (sério, eles têm uma documentação muito boa \o/), concluí que isso não estava me levando a lugar algum: quando eu tentava o comando createdb, ele dava um erro fatal e não fazia nada D=.

Enfim, depois de um tempo, encontrei esse link, que resolveu o meu problema. Agora posso estudar FBD feliz e saltitante.

Uma pena eu ter perdido a manhã inteira com esses contratempos D= (e ainda depois de tudo ter resolvido vir aqui postar isso no blog).

É isso...

R$

24 de mai de 2010

Teste do Apache

Estava precisando testar o Apache2 lá na bolsa pra fazer umas coisas e, para ver se estava tudo funcionando, resolvi fazer uma página simples e colocar alguma citação que tenha sido importante na minha vida. Não sei por que motivo, mas rapidamente me veio à cabeça isso:

"Good morning, and welcome to the Black Mesa Transit System. This automated train is provided for the security and convenience of the Black Mesa Research Facility personnel. The time is eight-forty seven A.M... Current outside temperature is ninety three degrees with an estimated high of one hundred and five. The Black Mesa compound is maintained at a pleasant sixty-eight degrees at all times. This train is inbound from Level Three dormitories to Sector C Test Labs and Control Facilities. If your intended destination is a high security area beyond Sector C, you will need to return to the Central Transit hub in Area Nine and board a high security train. If you have not yet submitted your identity to the retinal clearance system, you must report to Black Mesa personel for processing before you will be permitted into the high security branch of the transit system. Due to the high toxicity of material routinely handled in the Black Mesa compound, no smoking, eating, or drinking are permitted within the Black Mesa Transit System. Please keep you limbs inside the train at all times. Do not attempt to open the doors until the train has come to a complete halt at the station platform. In the event of an emergency, passengers are to remain seated and await further instruction. If it is necessary to exit the train, disabled personnel should be evacuated first. Please, stay away from electrified rails, and proceed to an emergency station until assistance arrives. A reminder that the Black Mesa Hazard Course decathlon will commence this evening at 1900 hours in the Level Three facility. The semi-finals for high security personnel will be announced in a separate secure access transmission. Remember, more lives than your own may depend on your fitness. Do you have a friend or relative who make a valuable addition to the Black Mesa team? Immediate openings are available in the areas of "Materials Handling" and "Low Clearance Security." Please contact Black Mesa personnel for further information. If you have an associate with a background in the areas of "Theoretical Physics," "Biotechnology," or other high-tech disciplines, please contact our civilian recruitment division. The Black Mesa Research Facility is an equal-opportunity employer. A reminder to all Black Mesa personnel: Regular radiation and biohazard screenings are a requirement of continued employment in the Black Mesa Research Facility. Missing a scheduled urinalisys or radiation check-up is grounds for immediate termination. If you feel you have been exposed to radioactive or other hazardous materials in the course of your duties, contact your radiation safety officer immediately. Work safe, work smart. Your future depends on it. Now arriving at Sector C Test Labs and Control Facilities. Please stand back from the automated door and wait for the security officer to verify your identity. Before exiting the train, be sure to check your area for personal belongings. Thank you, and have a very safe, and productive day."

Creio que seja uma pergunta de bem fácil resposta, mas será que alguém que ler isso sabe de onde é (a dica "permeia" o texto =D)?!!? (Sério, eu ouvi isso no mínimo umas 40 vezes durante a minha vida. Adoro a primeira frase, de paixão!!!)

Bom... era isso...

Abraços!!!

R$

22 de mai de 2010

Campo Minado

Ultimamente, um jogo me tem atrapalhado a vida. Mais do que foi o Super Mario Bros. 3, quando eu era criança - naquele tempo os jogos não me atrapalhavam em nada -, mais do que o Final Fantasy 5, no ano passado - droga, no fim nem terminei o jogo -, mais do que o Kingdom Hearts - esse não me deixava dormir pensando no que viria depois daquela parte que eu tinha jogado "hoje" -, esse jogo está presente em todos os computadores, é acessível a um número de cliques infinitamente pequeno e surge como atrativo especial para qualquer 2 minutos que eu tenha de tempo "livre": o Campo Minado.

O problema é que, apesar de o tempo livre parecer suficiente pra jogar Campo Minado (parece um jogo tão inocente), eu sempre acabo me passando. Um exemplo é agora: já são 2h22 da manhã (que número legal =D), e eu estava jogando isso D=. Quando mando instalar alguma coisa através de alguma ferramenta "synaptic" aqui no Ubuntu, o que que é que eu faço enquanto espero?!?! Quando eu mando compilar algum programa relativamente grande ou mesmo quando eu estou cansado das coisas que esteja fazendo no momento (quando tem trabalho de ORGB pra entregar no dia posterior é um bom exemplo), a melhor forma de relaxar é jogando um pouco de Campo Minado.

Agora agora acabei de bater meu recorde. Estava normalmente terminando o jogo na faixa dos 3 minutos, o que considero um tempo bom (infelizmente, no Ubuntu a contagem do tempo se preocupa com os minutos, mas o jogador de Windows deve considerar 180 segundos =D). Jogando, agora, fiz uma partida com 3 minutos e meio cravadinho (210 segundos), no que, tendo ficado com raiva (fala sério, isso é um retrocesso absurdo!!!), resolvi jogar denovo, tendo conseguido ganhar uma partida em 2 minutos e 41 segundos (161 segundos!!! \o/ \o/ \o/). Até agora, certamente essa é a minha marca, mas considero que eu deva melhorar: ainda perco algum tempo quando vejo os números 5 e 6, já que eles não são muito freqüentes e eu sou obrigado a contar quantas bombas já encontrei na volta deles. Em compensação, acho que já posso dizer o que os caras bons do campo minado que conheci (Jaque Lepkoski e o meu irmão Thiago) me disseram logo que falaram do jogo pela primeira vez pra mim: "Eu sou especialista no Campo Minado =D =D".

O que mais me deixa absurdado [tá tá, neologismo meu. Vocês entenderam o sentido] é que há pouco mais de dois anos [atrás] eu consideraria uma pessoa jogar esse jogo uma falta de boa vontade pra viver (sei lá... tentei não repetir a palavra absurdo, mas não consegui um resultado muito bom D=). Quando soube que o meu irmão jogava, o crucifiquei, condenando-o, reclamando "como é que tu consegue jogar um jogo desses!?!?!?!?". Ele me mostrou a sua tremenda habilidade no jogo (sério, ele é tri bom!!!) e eu fiquei abismado. Pedi a ele que me dissesse o que que é que ele faz pra tirar conclusões tão rápidas e ele me explicou algumas coisas no que criei um "algoritmo mental" que me ajuda hoje a resolver problemas quando encontro números muito grandes reduzindo-os a números menores (basicamente, eu resolvo o jogo com base em indução =D). Como ele era infinitamente melhor do que eu (na primeira vez em que joguei e terminei, demorei mais do que 999 segundos. Com o tempo fui melhorando, estagnando durante um tempo na faixa dos 300 a 360 segundos, por aí), resolvi que tinha de jogar. Não queria que ele fosse melhor do que eu D=. E acho que estou quase conseguindo =D =D se é que já não consegui =D~~.

O engraçado é que não foi por querer: durante um tempo eu tinha algumas coisas pra fazer que me geravam tempo livre, como compilar, recompilar, recompilar denovo, etc. Como isso era chato de esperar, resolvi pegar algum joguinho pra jogar, no que encontrei esse.

Infelizmente, ainda encontro gente "preconceituosa" que me xinga quando me vê jogando esse jogo D= D= (credo, tá parecendo que falo isso como se estivesse admitindo homossexualismo ou pedofilia, ou mesmo que eu matasse crianças em sacrifício a algum ser do mal, ou qualquer outra barbaridade ------- sim, no caso de algum homossexual vir me reclamar, eu estou sim igualando o homossexualismo aos outros dois atos ali citados), mas creio que isso não vá mudar: poucos são os que realmente se divertiriam clicando em quadradinhos como eu =D

Bom... tá... era isso... preciso dormir que amanhã tem prova de alemão...

R$

(bom... aí abaixo vai um screenshot do meu joguinho com a pontuação. Como eu não sei usar o GIMP pra cortar a parte de fora da janela, vocês vão ter de clicar na imagem pra ver tudo =D)

18 de mai de 2010

Schala Theme

1h47 da manhã... hora de já estar dormindo há tempo. Nem tomei banho ainda. Queria ter estudado um pouco de SQL, mas nem...

Não posso ir dormir sem ao menos escrever um pouco sobre a música que me tem enlouquecido nos últimos dias. Hoje no ônibus, dado um tom arbitrário, até comecei a pensar na partitura da música enquanto olhava pra os lados e ouvia uma gurias conversando alto sobre as professoras ruins do curso de letras da UFRGS (reclamaram bastante de uma tal de Cornélia e elogiaram uma tal de Naira, ou Laira, uma coisa assim - monte de nome de velho =D [também falaram de uma Hélida]).

Essa música é o tema da Schala, do Chrono Trigger. Anteontem, enquanto lia e esperava o meu computador voltar a funcionar, me veio a música na cabeça e, para minha surpresa (isso não tem sido tão incomum assim, por mais assustador que possa dar a impressão de ser), no tom certo, coisa que comprovei depois ao ouvir. Pra quem não conhece a música, ela é bastante viciante (mas sou suspeito pra falar):



E aqui vai uma versão do tristemente desistido Chrono Trigger Ressurection:



O mais legal foi que, ao abrir os videos pra postar aqui agora, consegui sincronizar direitinho as duas músicas. Como elas são em tons diferentes, ficou sinistrão O.o Garanto que se eu quisesse não teria conseguido =D

Ouçam e se viciem \o/

R$

Instalando o driver da G210M/G230M no Ubuntu (9.10)

Faço esse post não pra o leitor, mas para mim. Já passei um bom tempo tendo de procurar na internet como é que faz pra instalar o driver da minha placa de video (GeForce G210M) no Ubuntu duas vezes e sempre encontro algum problema. Minha sorte foi que, por acaso, me lembrava do nome do programa que utilizei e consegui instalá-la hoje denovo [quase] sem problemas.

Me baseei, ao fazer esse tutorial, nesse blog e nesse forum.

PROBLEMA

Depois de instalar o driver da NVIDIA para a placa G210M/G230M (soube que a G230M alguns PCs com a G230M tem tido o mesmo problema) no Ubuntu (estou usando o 9.10), por algum motivo, o "monitor" - estou num notebook, por isso as aspas - simplesmente desliga e não mostra nada na tela (ou então mostra vários riscos verticais em tons de cinza). O que provavelmente acontece é que o driver da placa de video não "encontrou" o monitor.

SOLUÇÃO

Dizer explicitamente no arquivo xorg.conf qual é o monitor. Para isso, sigamos os seguintes passos:

(A sugestão dada pelo blog que eu linkei ali em cima pra extrair o EDID foi usar o programa softMCCS, que é muito bonito, mas, infelizmente, não roda - de acordo com o que eu andei lendo na internet - no Windows 7. Tentei rodar e tive sérios problemas. Linkei aquele forum ali porque justamente ele me apresentou o programa que resolveu o problema: usar o phoenix)

A primeira coisa a fazer é ter uma forma decente de avisar ao driver qual é o monitor que estamos usando. A maneira canônica para fazer isso é através de um arquivo EDID (clique no link para saber mais). Para conseguir esse arquivo EDID, podemos usar vários programas. Aqui, vou usar o Phoenix.

Ao abrir o Phoenix, clique em Tools -> Extract Registry EDID, e clique duas vezes na linha que indica o seu monitor (provavelmente, só vai haver uma linha). Depois disso, vá em File -> Export (imagem ao lado) e selecione o tipo de arquivo .raw. Escolha o nome do seu arquivo, clique em salvar, e vá pra o Linux. Se estiver usando o softMCCS (o programa que eu disse que dava pau no Windows7), grave o arquivo no formate .bin. Esse é o formato que ele usa pra gravar EDIDs "de verdade" (o arquivo binário com as informações que a gente realmente quer).

No linux, baixe o driver da sua placa de video no site da NVIDIA (vai perguntar o seu sistema operacional, e alguns dados daqueles que todo mundo sabe). Abra o terminal e digite

$>sudo /etc/init.d/gdm stop

Isso
deve fechar o X para que você possa instalar o driver da NVIDIA (dá erro se você não fechar o X e tentar instalar o driver D=). Agora vamos instalar o driver. Vá até o endereço onde você baixou o driver e digite (obviamente, o nome do arquivo pode ser diferente, dependendo de qual seja o seu computador especificamente)

$>sudo sh NVIDIA-Linux-x86_64-195.36.24-pkg2.run

Uma instalação vai começar. Aceite tudo =D (se você estiver em um PC de 64 bits, ele vai perguntar se você quer instalar as bibliotecas de compatibilidade com OpenGL, por exemplo).

Ao término da instalação, estaremos naquele momento em que a tela fica preta (ou com linhas verticais em tom de cinza) do qual não gostamos. Para resolver o problema, abra o terminal (se você reiniciou o computador - para ver se a tela preta aparece ou não -, utilize o liveCD para acessar a partição do linux e utilizar o terminal) e vá até o endereço onde você guardou o seu arquivo EDID (aquele que nós gravamos com a extensão .raw ou .bin, lembra?) e o copie para /etc/X11/ da partição do linux.

[pausa para um problema de desambiguação]

No caso de você estar utilizando o LiveCD, o endereço /etc/X11 do qual eu acabei de falar será diferente. O caso é que o liveCD emula um sistema de arquivos "novo" e monta as partições do HD nesse sistema. Falando de uma forma mais simples, é com se o Linux (quando rodado pelo liveCD) tratasse as partições do HD de maneira não diferente daquela que ele trata CDs ou DVDs inseridos no driver: tudo isso vai parar na pasta /media (ou /mount, dependendo do caso). Assim, para acessar o endereço /etc/X11 **do HD**, você deverá ir para (provavelmente):

/media/{nome estranho que vai ser dado ao seu HD}/etc/X11
Onde o nome do seu HD normalmente será um monte de números

[/pausa para um problema de desambiguação]

Lá em /etc/X11, faremos um backup do arquivo xorg.conf (pra o caso de acontecer qualquer coisa de errado), apagaremos ele (dane-se ele: até agora não vi diferença ter ele "minimalista" ou com um monte de coisas [se alguém quiser me explicar melhor as diferenças, ficarei grato =D]) e colocaremos um novo no lugar, com as informações do EDID. Assim, digite as seguintes linhas de comando:

$> sudo cp xorg.conf xorg.conf.bkp # Cria um backup do xorg.conf
$> sudo rm xorg.conf # Apaga o arquivo xorg.conf


Agora, de alguma forma (milhares de forma de fazer isso - apesar de todo mundo dizer que é bom, eu admito que sou n00b e que não sei usar o vi), crie um novo arquivo contendo o seguinte:

Section "Device"
Identifier "Device0"
Driver "nvidia"
VendorName "NVIDIA Corporation"
Option "ConnectedMonitor" "DFP-0"
Option "CustomEDID" "DFP-0:/etc/X11/seuEDID.raw
EndSection


Onde "seuEDID.raw" é o nome do seu arquivo (se você usou o softMCCS ele será .bin, em vez de .raw). Pronto. Agora reinicie o computador e cruze os dedos: se tudo estiver certo, você verá inclusive o logo da NVIDIA ao iniciar o Linux =D