22 de out de 2010

O Lixo

Hoje vou escrever sobre o lixo...

Quarta-feira, esperava eu na parada, na PUC, na volta da natação, quando, sem nada para fazer, percebi um cara descascando uma bala e - para minha surpresa - simplesmente soltando o papel, como se nada estivesse acontecendo (sabe aquela dissimulação que a gente faz quando quer soltar lixo no chão - ou quando quer soltar tatu do nariz =D - sem ser notado??). Ele conversava com uma mulher e, tendo eu visto o seu ato, logo me levantei e ajuntei do chão aquilo que acabara de soltar, meio que brusco em meus atos, de forma que ele - ao menos tentando isso - percebesse o que eu fazia (e no mínimo ficasse envergonhado). Acho que não percebeu D=

Cinco minutos mais tarde (de acordo com o meu relógio, deu exatamente cinco minutos, mas não sei dos segundos =D) passou um cara juntando lixo do chão e das lixeiras, procurando por algo que pudesse aproveitar. Fiquei pensando: interessante: o que é lixo pra uns às vezes pode ser "tesouro" para outros. (na real, nada em que eu já não tivesse pensado antes, óbvio


No mesmo dia, ainda na rua - caminhei bastante na quarta-feira -, vi 3 vezes acontecer a mesma coisa (na última acho que até estava já com meus irmãos, se não me engano - o que, pelo pouco que me lembro, foi o que gerou a conversa sobre o assunto naquele momento): pessoas fumantes que, ao terminar o seu cigarro, jogaram a sua bituca no chão, da mesma forma dissimulada (ou não) do cara do papel de bala do início do post.

Será que as pessoas não se ligam que estão sujando a cidade?? Que desgraça!!! Sério... muita indignação!!!
Gostei dessa imagenzinha que achei no google. Vai ela aí =D

Acho engraçado, porque parece que as pessoas aprenderam com os "malandros" dos filmes a fazer coisas desse tipo. Tanto que durante a conversa sobre o assunto de que falei dois parágrafos atrás o mano até referiu o caso de uma mulher que, esperando o ônibus ao lado de uma lixeira na parada que tem aqui perto de casa, ao terminar o cigarro, em vez de pôr na lixeira, simplesmente largou no chão.

Fico me perguntando: onde é que tá a cabeça dessa gente?? Ela tava DO LADO da lixeira!!!

Mas ao mesmo tempo caio no caso em que as pessoas não tem cultura - não tiveram educação, sei lá - pra saber o quanto mal estão fazendo (e que mal é esse afinal??) quando jogam lixo nas ruas. E também fico pensando nas pessoas que, como no início do post, usam do lixo posto fora para seu próprio sustento. Seria difícil pra o cara encontrar "lixo bom" se ele não estivesse disponível em algum lugar fácil de pegar (supondo o caso em que os caras da prefeitura sempre recolhem o lixo das lixeiras =D) - o chão.

Pra finalizar, me lembro sempre de um poema do Manoel Bandeira quando penso em lixo. Deixo ele aí pra não dizerem que o meu post (completamente sem sentido, diga-se de passagem) foi em vão:

O Bicho

Vi ontem um bicho
Na imundice do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa;
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem.

Era isso...
R$

Nenhum comentário:

Postar um comentário