13 de out de 2014

Mudança

Os que conviveis comigo deveis saber que os últimos dois meses foram de grandes mudanças. De agosto pra cá, eu deixei muitos círculos de convivência (eu sempre acho essas coisas meio lamentais, porque mais ou menos significam que me tornarei um "coadjuvante" para a vida das pessoas com quem não mais conviverei; mas é a vida, e há que se aprender a conviver com essas coisas [e sem essas pessoas xP]) para pôr em prática algo sobre que eu já pensava (e que já pretendia) desde há muito tempo: começar um Master na Alemanha.

Tendo já migrado (e agora estando eu em fase de burocracias e o diabo), eu certamente não estou nem de longe arrependido/triste/frustrado/etc. Pelo contrário, não poderia estar mais satisfeito: finalmente voltei a ser estudante, como (tenho descoberto) nasci pra ser.

Aqui, espero poder exercitar meu alemão (que é um lixo =/ ) e aprender outras línguas (afinal, esse é meu grande interesse!). Apesar disso, é verdade que ainda não consegui conviver mais com pessoas de outros lugares, e por não terem ainda começado minhas aulas tenho passado a maior parte do tempo com outros brasileiros.

Mas creio que isso deve mudar logo \o/ E, certamente, se começar a conviver com colegas nativos de línguas muito "diferentes" (pra ser político-corretamente eufêmico), certamente começarei a fazer perguntas xP

Enfim... essa é uma postagem só pra deixar marcado pra quem quer que me leia e não conviva comigo (eu na real duvido que o vosso número seja tão alto a ponto de, quando muito, eu ter de usar o plural u_u) que devo passar os próximos dois anos (pelo menos) neste outro lado (de cá) do continente =)

R$

10 comentários:

  1. Plural, eu não sei, mas o meu singular eu garanto.

    Espero que não tenhas ido para intestinópolis. Ouvi histórias tenebrosas de orientador ausente por lá :-) De qualquer jeito, boa sorte aí!

    ResponderExcluir
  2. Plural eu não sei, mas um paucal já rola. :P

    Custei a ver este post porque agora estou vivendo de 3G e não tenho atualizado o RSS todos os dias. Besides, meus informantes soviéticos já tinham me contado que tu estava por aí. :P

    E aí, conseguiu algo em uma área language-related por aí (assumindo que tu já tenha escolhido área)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LOL... ou eu não recebi e-mail nenhum de que vocês tinham respondido aqui, ou eu simplesmente não o vi (sei lá se isso vai aparecer pra vocês, agora que já faz uma era desde que postaram os comentários).

      Eu to fazendo umas cadeiras de lingüística e até agora tem sido bem interessante. Mais do que isso, eu tenho a impressão de estar conseguindo "impressionar os professores" (se não impressionar, pelo menos passar uma boa imagem) e isso vai bem ao encontro dos meus planos de talvez no futuro relativamente próximo conseguir algum "estágio" [eu não sei como chamar -- eles chamam de "Hiwi" aqui] na área.

      Enfim... tá sendo bem tri. Cada semestre eu pretendo fazer pelo menos 2 cadeiras de lingüística (que é um bom número, na real).

      Excluir
    2. Eu vejo tudo, sou um grande vidente (que acompanha os comentários por RSS). :P

      Parece bom. Especialmente se essas aulas vierem a render posts por aqui. :P Boa sorte por aí! :)

      Excluir
    3. Uma das cadeiras é de psicolingüística (se chama "Sentence Processing) e eu tenho que ler um "influential article" sobre o assunto por semana (que a professora nos manda ler) e escrever uns trecos sobre ele. Até agora, a gente passou pelo Garden Path Model [1], depois foi introduzido a um artigo defendendo uma "Constraint-based account" em sentence processing, e o dessa semana é sobre como a "serialidade da língua" + "restrições da nossa memória" podem tornar algumas frases mais difíceis de entender simplesmente por serem longas. Tá bem tri... apesar de a turma não ajudar muito: parece que a metade da turma tá lá só pra assinar a chamada =S (aí a professora pergunta as coisas e ninguém responde). O que é tri, porém, é que eu já notei que eu to manjando bem das putarias: mesmo não tendo feito a cadeira que é pré-requisito (Sintaxe), eu normalmente sei o que ela pergunta xP

      A outra cadeira até agora tem sido de introdução à lingüística: fonologia, fonética, morfologia, sintaxe, ...... . Quando virar o ano sim é que vai começar umas coisas mais de cognição. Aí vai ficar tri \o/ Eu inclusive to a fim de comprar um livro sobre aquisição de linguagem por crianças, daonde duas leituras virão (assim já adianto as leituras xP).

      Outra novidade é que, como eu sou rodeado por indianos, eu resolvi escolher uma língua deles (tem tantas! -- e cada um dos meus amigos é nativo numa diferente) pra aprender. Como Hindi é uma língua franca (e eu vejo que eles a usam pra "privacidade" over o Inglês xP -- detalhe que nenhum dos meus amigos é nativo em Hindi), eu resolvi começar a aprender. No início, eu queria só perguntar pra eles; mas eu percebo que lhes falta "noções" sobre a gramática -- eles sabem falar, mas se eu pergunto sobre verbos, conjugações, e o diabo, eles não sabem responder. Aí resolvi que vou aprender por mim mesmo. Hoje mesmo comecei a aprender sobre o sistema de escrita -- algo que acho que vai me tomar um bom tempo pra me acostumar com ainda Mas vou indo... acho que (ironicamente) vai ser mais fácil que latiim: pelo menos eu terei gente falando a língua na minha volta xP

      Bom... mega textalhão. Desculpa...

      Excluir
    4. [1] http://en.wikipedia.org/wiki/Sentence_processing

      /\ Ali fala sobre o Garden Path Model, sobre a "Constraint-based sentence processing", e o devil-at-4.

      Excluir
    5. Bá, que doideira. Boa sorte com o hindi e o devanagari. :P

      E pois é, falantes nativos nem sempre são uma boa fonte de esclarecimentos lingüísticos. A maioria das pessoas só fala sua língua "just like that", sem pensar conscientemente sobre as regras. Mas pelo tu pode praticar a língua com eles...

      Excluir
    6. Pois é... eu perigo -- porque vou passar dois anos pelo menos em contato com eles -- até mesmo aprender decentemente essa língua antes de me tornar decente em latim ou francês (com quem tenho pouca gente pra conversar em [báá... tive de parar e pensar se essa última frase tava numa ordem que fazia sentido]).

      Sobre o alfabeto: eu tendo a mei-que seguir a trend de lingüistas em geral e meio que "disregard" os sistemas de escrita. Eles são inferiores: o que importa é como as pessoas falam xP

      Excluir
    7. Eu diria "secundários" rather than "inferiores" (mas isso sou só eu sendo chato :P).

      Mui curiosa essa frase aí. Em inglês se pá até rolava um double preposition stranding ("which I have few people to talk to in"). :P

      Excluir
    8. HUEAHEUEAHEUH.. vou até tentar usar isso uma hora =)

      [mas sim sim... "secundários" é uma palavra melhor xP]

      Excluir