7 de fev de 2016

Poemas no blog [5]

[English version below]

Um amigo me tinha pedido pra voltar a escrever poemas por aqui. A procrastinação falou alto, e eu acabei fazendo-o.




Atalho

Sem paz, permanece o menino,
em vão, nem insano nem são.
Sem ânimo ou fé, pequenino,
sem mimo, ao relento, sem chão.

Com tantas perguntas em mente,
confuso, ao léu, sem resposta.
Bem mal, no momento, se sente,
no tempo está sua aposta.

Não sabe se aquilo que vê
entende de forma correta;
lhe cabe, compreende, escolher

(assim desistente sem meta)
sozinho o caminho a correr.
Melhor já se sente, poeta.


--

[Portuguese version above]

A friend had asked me to start again writing poems in my blog. The procrastination was strong and I ended up doing it. Unfortunately, I write in Portuguese, and I simply can't see how to even start to translate it into English without breaking everything. Sorry to the foreigners =/

Nenhum comentário:

Postar um comentário