21 de fev de 2016

Poemas no blog [6]

[English version below]

Duns tempos pra cá, eu venho escrevendo poemas até que com uma certa freqüência. Tem sido um bom escape pra tensão das provas e trabalhos que se aproximam (o problema é que eu tenho "escapado" demais e produzido de menos). Hoje eu ocasionalmente me "inspirei" com o tema "ser adulto" e escrevi isso aí debaixo. Tomara que a alguém agrade =)


Adulto

O tempo vai passando... com ele, a gente,
sem dúvida que, quando, no porvir,
nem mais banal, nem mais adolescente
for, já seguro então vai se sentir.

Um dia então percebe estranhamente,
que adulto o é, porém, sem perceber-
se diferente do seu eu recente.
Entende: terminou-se o adolescer.

Mas aonde foi aquela segurança
que os pais passavam quando era criança,
que víamos adultos sempre ter?

Parece que não é como se pensa,
que à diferença adulto não pertença
... ou o é e eu que adulto ainda não sei ser?


--
[Versão em Português acima]

Since some time ago, I've been writing poems with a certain frequency. It's been a good escape (escape way?) for the tension of the exams and works that are coming soon (the problem is that I've been "escaping" too much and producing too less). Today I occasionally got "inspired" with the theme "to be an adult" and wrote this thing. I hope you like =)

[ok ok... again... it is a poem, with metrics and rhymes. It is virtually impossible for me to translate it to English without breaking everything. I won't even try. But don't get disappointed... soon I write some content that makes sense in English :v]

Nenhum comentário:

Postar um comentário