7 de ago de 2013

Novamente, de volta

Sumi por um tempo. Passei o fim de junho e julho inteiro em desespero com o fim das minhas últimas cadeiras da faculdade e acabei sem vontade de vir aqui escrever alguma coisa.

Com o fim do último semestre em aulas do meu curso [agora só me falta o TCC \o/], relaxei e larguei de mão inclusive os afazeres relacionados ao TCC, já que, pelo que entendi, o pessoal do grupo declarou férias e esqueceu de me avisar (por uma semana, fui o único a aparecer pelo labóratório D=).

Tenho a forte impressão de que anteontem a movimentação voltou no laboratório e, como despedidas às minhas tão agradáveis "férias", resolvi aparecer por aqui. Ao longo delas, fiz uma grande quantidade de coisas nas quais agora me alegro.

(a saber...) Limpei meu e-mail e meu Youtube [que guardava horas e horas de videos, já que não os assistia desde o fim de maio], reorganizei meus arquivos, assisti ao Avatar: Legend of Korra e à primeira temporada de Dexter e ainda troquei todas as minhas senhas de todas as contas de que consegui me lembrar, reorganizando-as em níveis de importância. Com os meus arquivos organizados, foi fácil fazer um backup de tudo para o HD externo que adquiri algum tempo atrás, e, com a certeza de que meus arquivos estariam a salvo, não me importei em perder algum tempo limpando o Windows (isso demora porque eu tenho que instalar um Windows pelo CD antes de usar a partição de recuperação, já que se eu não o fizer ela se perde ao tentar acessar a MBR -- ela não espera que o GRUB esteja lá, pelo que pude entender). Também removi as duas partições com Ubuntu e instalei um Mint e um Arch. Durante as muitas esperas, andei lendo o "Eragon", um livro que há tempos queria começar (to achando bem agradável -- melhor de ler do que Tolkien, certamente --, apesar de a história me parecer meio infantil até agora D=).

Fiz ainda mais algumas coisas de que não falo aqui agora porque a elas dedicarei postagens próprias: são mais importantes do que "ter matado tempo".

Enfim... quanto às postagens sobre línguas, certamente elas serão frequentes: se elas não aqui foram publicadas, seus assuntos ainda estão guardados nas minhas anotações do celular, esperando o seu momento. Talvez eu também tente escrever algo em inglês aqui ou ali: precisarei treiná-lo para meu TCC.

Eras isso...

R$

4 comentários:

  1. Bah, TCC em inglês?

    Fiz o meu em português com orgulho, porque já basta o trabalho de escrevê-lo, não preciso arranjar mais problemas pra mim mesmo.

    Mas se tivesse sido em Esperanto também estaria tudo bem, hehehehe. :-) (inglês, ou qualquer língua de outro país me deixa com a sensação de ser eternamente um cidadão de segunda classe, e uma língua construída não me passa isso)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente isso será pra mim bem "desafiador". Eu não escrevo em inglês normalmente, e apesar de tentar pensar em inglês com freqüência -- acontece automaticamente depois de eu assistir a muita coisa em inglês num mesmo dia, por exemplo -- eu tenho certeza de que tem vários aspectos da gramática que vão me enrolar bastante (como as diferenças entre "on", "in" e "at" -- pra mim é tudo a mesma coisa).

      Mesmo assim, apesar de que eu queria muito que ele fosse em português (em português eu poderia torná-lo uma "arte", em vez de somente um "texto científico"), eu acho que escrevê-lo em inglês é legal pra permitir que outrem possa lê-lo (sei lá, vai que alguém se interessa por o que eu fizer).

      Sei lá...

      Excluir
    2. [putz... infinitos "em inglês" e "em português" no mesmo pequeno textinho... Desculpa aí D=]

      Excluir
    3. Ah, eu não era tão otimista. Acho que ninguém de longe ia querer ler meu trabalho... :-p

      Excluir